Resumo Trabalho

HANSENÍASE EM IDOSOS

ALESSA CRISTINA MEIRELES DE BRITO, JORGEANNY DANTAS DE ARAÚJO, GEÍSA BATISTA LEANDRO, FABR͍CIA SOUZA DE OLIVEIRA e orientado por MARIA DO CARMO ANDRADE DUARTE DE FARIAS e orientado por MARIA DO CARMO ANDRADE DUARTE DE FARIAS

Estudo ecológico, com abordagem quantitativa que objetivou identificar o índice de casos notificados de hanseníase em idosos em uma microrregião do interior da Paraíba, bem como do próprio estado e da região Nordeste, nos anos 2006 a 2015. A coleta das informações se deu por meio dos dados secundários disponibilizados pelo Departamento de Informática do SUS (DATASUS), no site do Ministério da Saúde. Os dados foram obtidos do Sistema de Informação de Agravos e Notificação (SINAN) e as variáveis escolhidas para análise foram: ano, sexo, faixa etária, tipo de hanseníase diagnosticado, tipo de tratamento diagnosticado e tipo de tratamento realizado. Constata-se que as principais informações encontradas mostram um maior índice de casos em indivíduos do sexo masculino, com faixa etária de 65-79 anos e tipo diagnosticado multibacilar. Quanto aos profissionais de saúde, fica evidente a sua importância nas ações de educação em saúde a respeito da hanseníase para a população idosa e também para seus familiares ou cuidadores, de modo a utilizar a troca de informações como um auxílio para possíveis diagnósticos de casos, assim também como para desmistificar a doença para a população em geral. Os resultados apontam a necessidade de capacitações dos profissionais, de modo a facilitar os diagnósticos; bem como das visitas domiciliares da equipe de saúde, sobretudo de enfermagem em parceria com os agentes comunitários de saúde, como importante ferramenta na manutenção do controle de casos novos ou já existentes.

Veja o artigo completo: PDF