Resumo Trabalho

PERFIL DE EVENTOS ADVERSOS EM IDOSOS HOSPITALIZADOS

MARIA CAROLINE MACHADO SERAFIM, ALLINE KARLLA PÉRICLES PEREIRA, ISABELA CAROLINE PIMENTEL DE MOURA, ANDREIA APARECIDA DA SILVA e orientado por VIVIANE ARAÚJO GOUVEIA e orientado por VIVIANE ARAÚJO GOUVEIA

Introdução: O envelhecimento é o processo natural e gradual de perdas biológicas, no entanto, é notável o atual aumento da expectativa de vida da população mundial. No Brasil, os dados sobre eventos adversos em idosos são escassos, durante essas internações, a probabilidade do idoso ser vítima de algum erro médico, ou qualquer outro evento adverso, é alta, podendo causar diversas comorbidades. Assim, destaca-se a necessidade de se estudar os eventos adversos em idosos, avaliando e identificando as causas para implantação de uma cultura de segurança do paciente. Objetivo: Analisar as notificações dos eventos adversos que acometem os idosos durante o período de internação hospitalar em um hospital localizado em Recife-PE. Metodologia: Trata-se de um estudo retrospectivo exploratório, com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada em um hospital universitário localizado na região metropolitana do Recife-PE. Resultados: Foram coletados 260 prontuários. A maioria dos pesquisados correspondeu ao sexo masculino, com faixa etária de 60 a 79 anos, casados e aposentados. Quanto às variáveis clínicas, a maioria da amostra apresentou comorbidades de origem osteomusculares. Quanto às variáveis relacionadas aos eventos adversos, a maioria dos pacientes passaram até 3 dias de internamento. Porém, foram notificados eventos adversos como reação aos medicamentos, infecção hospitalar e eventos adversos. Discussão: No presente estudo, os idosos apresentaram tempo de internamento de até três dias e a minoria sofreu eventos adversos. Contudo, os eventos identificados corresponderam a reações adversas a medicamentos, infecção hospitalar, queda e úlcera por pressão. Estes dados concordam com outro estudo que evidenciou os principais eventos adversos em idosos estão relacionados a fármacos, infecção hospitalar, procedimentos terapêuticos, diagnóstico, miscelânea e cirúrgico. Conclusões: Observa-se então, a importância de estudos que notifiquem e quantifiquem os eventos adversos em idosos, para assim serem traçadas estratégias para prevenção de agravos, assim como capacitar os profissionais de saúde para atender as demandas específicas dessa população.

Veja o artigo completo: PDF