Resumo Trabalho

ENVELHECER NO CÁRCERE: DESAFIOS E SIGNIFICADOS À LUZ DA REVISÃO INTEGRATIVA

GIGLIOLA MARCOS BERNARDO DE LIMA, DÉBORA DE SOUZA LUCENA, ARTHUR ALEXANDRINO, WILTON MARAVILHA DE MACÊDO E SILVA e orientado por MATHEUS FIGUEIREDO NOGUEIRA

EMBORA A MAIORIA DA POPULAÇÃO CARCERÁRIA SEJA CONSIDERADA JOVEM, A POPULAÇÃO IDOSA, ACIMA DE 60 (SESSENTA) ANOS, É CERCA DE 1%. CONSIDERANDO A IDADE CRONOLÓGICA, CASO CONSIDERE A IDADE BIOLÓGICA, DEVIDO A INTENSIFICAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS JÁ A PARTIR DOS 50 (CINQUENTA) ANOS. TORNA-SE PERTINENTE A IMPORTÂNCIA DO OLHAR DA SAÚDE PÚBLICA, SAÚDE COLETIVA E INSTANCIAS JURÍDICAS PARA ESTE GRANDE DESAFIO: A GARANTIA DO DIREITO A SAÚDE AO IDOSO NO SISTEMA PRISIONAL. ASSIM, ESTE ESTUDO TEVE POR OBJETIVO GERAL REALIZAR UMA REVISÃO INTEGRATIVA BUSCANDO APREENDER OS PRINCIPAIS DESAFIOS E SIGNIFICADOS DE SE ENVELHECER NO CÁRCERE NO BRASIL A PARTIR DE PERIÓDICOS CIENTÍFICOS E LITERATURAS PERTINENTES A TEMÁTICA. ESTA PESQUISA POSSUI UMA ABORDAGEM QUANTI-QUALITATIVA DO TIPO REVISÃO INTEGRATIVA. OS RESULTADOS DA PESQUISA APONTAM DE FORMA GERAL QUE A POPULAÇÃO IDOSA SOB PRIVAÇÃO DE LIBERDADE NO PAÍS PASSA POR UMA FORTE DESASSISTENCIA EM SAÚDE E INVISIBILIDADE DE SUA ASSISTENCIA. PERCEBE-SE QUE O SISTEMA FECHADO PRISIONAL APRESENTA UM IMPACTO MAIOR SOBRE A SAÚDE DOS IDOSOS, O QUE PODE ESTAR ASSOCIADO AO APRISIONAMENTO, CONDIÇÃO FISIOLÓGICA DO ENVELHECIMENTO E REDUÇÃO DO VÍNCULO FAMILIAR FRENTE AO ENCARCERAMENTO. FORAM MAIS INCIDENTES EM IDOSOS ENCARCERADOS ALTERAÇÕES MENTAIS, PSÍQUICO-SOCIAIS, EMOCIONAIS E FUNCIONAIS, SOBRETUDO ENTRE AQUELES QUE PERMANECEU MAIS TEMPO NO SISTEMA PRISIONAL. O ENCARCERAMENTO PARA OS IDOSOS SE APRESENTAM COM OS MAIS DIVERSOS SIGNIFICADOS, ESTES VARIAM DESDE A PERCEPÇÃO DA PRIVAÇÃO DA LIBERDADE COMO CASTIGO, ABANDONO DA FAMÍLIA E AMIGOS, SOLIDÃO À UMA RECONSTRUÇÃO DO PRÓPRIO CARÁTER DIANTE DA PRISÃO.

Veja o artigo completo: PDF