Resumo Trabalho

INFECÇÃO POR CITOMEGALOVÍRUS E SUA RELAÇÃO COM A IMUNOSSENESCÊNCIA NO IDOSO - REVISÃO LITERÁRIA

RENAN DE BRITO CALDAS, GABRIELA REIS GUIMARÃES, GILVAN GILSON DE MEDEIROS JÚNIOR, LARYSSA PINHEIRO MARQUES e orientado por PEDRO DA SILVA CAMPANA

O ENVELHECIMENTO HUMANO É CARACTERIZADO POR ALTERAÇÕES MORFOFUNCIONAIS E PROGRESSIVAS, QUE SE ASSOCIAM À SUSCEPTIBILIDADE À DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS OU DE RESPOSTA AUTOIMUNE PREVISÍVEIS. É PRECISO ENTENDER QUE, O PROCESSO EM SI NÃO É HOMOGÊNEO E, DIVERSOS ÓRGÃOS ENCARAM ETAPAS DISTINTAS INFLUENCIADOS POR FATORES PERTINENTES A ELES, INCLUINDO A COMPOSIÇÃO GENÉTICA, HÁBITOS DE VIDA E O CONTATO QUE ELES ENTRAM COM SUBSTÂNCIAS EXÓGENAS. COM A REDUÇÃO DA ATIVIDADE CELULAR DO SISTEMA IMUNE, PERCEBE-SE UM AUMENTO NA FREQUÊNCIA INFECÇÕES, SENDO DENTRE ELAS, O CITOMEGALOVÍRUS (CMV) QUE RECEBE DESTAQUE. NOS INDIVÍDUOS IMUNOCOMPETENTES, TENDE A MANIFESTAR UM CURSO DA DOENÇA ASSINTOMÁTICO, ENTRETANTO, PARA OS IMUNOCOMPROMETIDOS, AUMENTA SIGNIFICATIVAMENTE A MORBIMORTALIDADE. PARA A POPULAÇÃO IDOSA, HIPERATIVA O ESTADO PRÓ-INFLAMATÓRIO QUE, NATURALMENTE JÁ É ACENTUADO PARA ELES. O PRESENTE TRABALHO OBJETIVOU, A PARTIR DE UMA REVISÃO DA LITERATURA COM BASE EM PLATAFORMA DE DADOS, APONTAR A RELAÇÃO DO ENVELHECIMENTO HUMANO À SUSCEPTIBILIDADE À INFECÇÃO POR ESTE VÍRUS DA FAMÍLIA HERPES VÍRUS E ESTABELECER SUA REPERCUSSÃO PARA O SENIL.

Veja o artigo completo: PDF