Resumo Trabalho

ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PACIENTE SUBMETIDO À HEMODIÁLISE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

LARISSA LOPES SANTANA, ANANDA QUARESMA NASCIMENTO e orientado por ANA BEATRIZ NUNES PEREIRA

A INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) ACOMETE APROXIMADAMENTE, 5% A 7% DA POPULAÇÃO MUNDIAL SENDO A FASE MAIS AVANÇADA DA DOENÇA RENAL CRÔNICA CARACTERIZADA POR UMA SÉRIE DE ACOMETIMENTOS SISTÊMICOS QUE CULMINAM NA DETERIORAÇÃO DA CONDIÇÃO FÍSICA DESTE PACIENTE. DESTA FORMA, A FISIOTERAPIA SURGE COMO UMA ALIADA NA TERAPÊUTICA DESTES PACIENTES, ATUANDO DESDE A PREVENÇÃO ATÉ A REABILITAÇÃO DE DANOS PROVENIENTES NÃO SÓ DA PATOLOGIA MAS TAMBÉM DA HEMODIÁLISE. O OBJETIVO DO PRESENTE ESTUDO CONSISTIU EM COMPARTILHAR FRENTE A COMUNIDADE ACADÊMICA A EXPERIÊNCIA E CONDUTAS EMPREGADAS DENTRO DE UM AMBULATÓRIO DE HEMODIÁLISE PERTENCENTE A FUNDAÇÃO PÚBLICA HOSPITAL DAS CLÍNICAS GASPAR VIANA (FPHCGV). FORAM REALIZADAS OFICINAS EXPLORATÓRIAS COM CONFECÇÕES DE CARTAZES, DISTRIBUIÇÃO DE FOLDERS PARA MAIOR ESCLARECIMENTO DOS PACIENTES ACERCA DE SUA PATOLOGIA, POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES E PREVENÇÃO DE OUTRAS COMORBIDADES. ALÉM DISSO, PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO FORAM FORMULADOS DE ACORDO COM A NECESSIDADE E PARTICULARIDADE APRESENTADA POR CADA PACIENTE, SENDO ESTE ITEM AVALIADO A PARTIR DO TESTE DE CAMINHADA DE SEIS MINUTOS O QUAL ERA REALIZADO MENSALMENTE. AS PROPOSTAS IMPLEMENTADAS NO CENTRO FORAM DE SUMA IMPORTÂNCIA NÃO SÓ PARA MAIOR ADESÃO AO TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE COMPLICAÇÕES SECUNDÁRIAS A PATOLOGIA, MAS TAMBÉM PARA O ESTREITAMENTO DAS RELAÇÕES TERAPEUTA-PACIENTE.

Veja o artigo completo: PDF