Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO CLÍNICA DA CORRELAÇÃO ENTRE CAPACIDADE FUNCIONAL E AUTOPERCEPÇÃO DE SAÚDE POR IDOSOS

RAYSSA SOBREIRA CAMURÇA, CHARLENE GLAUCIA NUNES DE ALMEIDA, LUANA DINIZ CAMPOS e orientado por JANUÁRIA DE MEDEIROS SILVA

DO PONTO DE VISTA DA SAÚDE PÚBLICA, A CAPACIDADE FUNCIONAL SURGE COMO UM NOVO CONCEITO DE SAÚDE, ADEQUADO PARA INSTRUMENTALIZAR E OPERACIONALIZAR A ATENÇÃO À SAÚDE DO IDOSO. O ESTUDO TEM POR OBJETIVO CARACTERIZAR FUNCIONALMENTE A POPULAÇÃO IDOSA DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB, CORRELACIONANDO SEU ESTADO FUNCIONAL À AUTOPERCEPÇÃO DE SAÚDE DOS INDIVÍDUOS. CARACTERIZA-SE COMO UM ESTUDO TRANSVERSAL DE ANÁLISE DESCRITIVA E EXPLORATÓRIA, COM ABORDAGEM QUANTITATIVA. A AMOSTRAGEM FOI DO TIPO RANDOMIZADA CONSTITUÍDA POR 50 PESSOAS COM MAIS DE 60 ANOS, EM ACOMPANHAMENTO NO CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DO IDOSO – CAISI NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA. METODOLOGICAMENTE, FOI UTILIZADO O ÍNDICE DE BARTHEL, A VERSÃO ADAPTADA DO INSTRUMENTO SABE E UM QUESTIONÁRIO PARA CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA. OBSERVOU-SE QUE, 72% DOS IDOSOS ERAM DO GÊNERO FEMININO E 28% DO MASCULINO. SOBRE AS DOENÇAS CRÔNICAS, 22% NÃO TINHAM NENHUMA, 26% UMA PATOLOGIA E 52% APRESENTAVAM MAIS DE DUAS, CONFIRMANDO A ALTA PREVALÊNCIA DE DOENÇA CRÔNICA NA POPULAÇÃO IDOSA. QUANTO A CAPACIDADE FUNCIONAL, 100% DA AMOSTRA FOI CONSIDERADA COMO INDEPENDENTE PELO ÍNDICE DE BARTHEL, SEM DIFERENÇAS ESTATÍSTICAS SIGNIFICANTES. ENTRETANTO, EMBORA A CAPACIDADE FUNCIONAL TENHA SIDO CONSIDERADA PRESERVADA, A PERCEPÇÃO GLOBAL DA SAÚDE APRESENTOU VARIAÇÃO, SENDO CONSIDERADA RUIM. REFERENTEMENTE À ESCALA DE BARTHEL, OS DADOS INDICAM QUE A EVACUAÇÃO, MICÇÃO, DEAMBULAÇÃO E ESCADAS DETÊM OS MAIORES ÍNDICES DE DEPENDÊNCIA FUNCIONAL, PARCIAL OU TOTAL. OS RESULTADOS INDICAM QUE, AS AÇÕES INTEGRADAS QUE ABORDAM OS PRINCIPAIS FATORES DETERMINANTES DA AUTOPERCEPÇÃO DE SAÚDE PODEM CONTRIBUIR SIGNIFICATIVAMENTE PARA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS.

Veja o artigo completo: PDF