Resumo Trabalho

CORRELAÇÃO DA AUTOEFICÁCIA PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA, PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE SAÚDE, ANSIEDADE E ESTRESSE DE MULHERES IDOSAS FUNCIONALMENTE ATIVAS

ANDERSON DA SILVA HONORATO, BRUNA PRADO GOMES, RENATA PIRES TRICANICO MACIEL e orientado por DENILSON DE CASTRO TEIXEIRA

O ENVELHECIMENTO É CONSIDERADO UM FENÔMENO COMPLEXO, POR DEPENDER DE UMA SÉRIE DE FATORES BIOPSICOSSOCIAIS INTER-RELACIONADOS, QUE SOFREM ALTERAÇÕES EM MOMENTOS E VELOCIDADES DIFERENTES . ENTRETANTO, A CONDIÇÃO DE LONGEVIDADE ASSOCIA-SE À FRAGILIZAÇÃO PELO ENVELHECIMENTO, DEIXANDO O IDOSO MAIS VULNERÁVEL AO DESENVOLVIMENTO DE DEMÊNCIAS, INCAPACIDADES FÍSICAS E MENTAIS. DESTA FORMA O ESTUDO TEM POR OBJETIVO ANALISAR AS POSSÍVEIS CORRELAÇÕES ENTRE OS AS VARIÁVEIS AUTOEFICÁCIA PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA COM A PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE SAÚDE, ANSIEDADE E ESTRESSE DE MULHERES IDOSAS FUNCIONALMENTE ATIVAS. TRATA-SE DE UMA AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DO “ESTUDO LONGITUDINAL ENVELHECIMENTO ATIVO”. OS QUESTIONÁRIOS FORAM APLICADOS EM FORMA DE ENTREVISTA. OS DADOS OBTIDOS FORAM TRATADOS POR MEIO DE ESTATÍSTICA DESCRITIVA, APRESENTADOS EM FORMA DE MEDIANA (MD) E QUARTIS (Q1; Q3), POR NÃO APRESENTARAM DISTRIBUIÇÃO NORMAL. QUANDO RELACIONADAS AS VARIÁVEIS, FOI ENCONTRADA DIFERENÇAS ESTATISTICAMENTE SIGNIFICATIVAS COM CORRELAÇÃO MODERADA ENTRE ANSIEDADE E PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE SAÚDE (R=0,504), ANSIEDADE E TEMPO DE ESTUDOS (R=-313), CORRELAÇÃO FRACA ENTRE PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE SAÚDE E ESTRESSE (R=0,243), BEM COMO PARA ANSIEDADE E AUTOEFICÁCIA (R=-0,375) E CORRELAÇÕES MUITO FRACAS ENTRE ESTRESSE E ANSIEDADE (R= 0,021), AUTOEFICÁCIA E PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE SAÚDE (R=-0,148) E AUTOEFICÁCIA E ESTRESSE (R=-0,052). NOTA-SE QUE ALGUMAS CORRELAÇÕES FORAM NEGATIVAS, COMO AUTOEFICÁCIA COM ANSIEDADE, PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE SAÚDE E ESTRESSE, DO MESMO MODO COM ANSIEDADE E TEMPO DE ESTUDO. DE MODO GERAL CONSTATOU-SE QUE AS IDOSAS APRESENTAM UMA AUTOEFICÁCIA ELEVADA E UM MENOR ÍNDICE DE ESTRESSE E ANSIEDADE GENERALIZADA. NO ENTANTO, OBSERVOU-SE RELAÇÃO ENTRE OS NÍVEIS DE ANSIEDADE E PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE SAÚDE, EM QUE BAIXOS NÍVEIS DE ANSIEDADE LEVAM A UMA PERCEPÇÃO DE SAÚDE POSITIVA. EVIDENCIOU-SE QUE UMA PERCEPÇÃO RUIM DE SAÚDE ESTÁ RELACIONADA AO MAIOR NÍVEL DE ESTRESSE. ALÉM DISSO, CONSTATOU-SE QUE QUANTO MAIOR O ÍNDICE DE ESTUDO MENOR É A ANSIEDADE EVIDENCIADA NOS IDOSOS.

Veja o artigo completo: PDF