Resumo Trabalho

ENVELHECIMENTO ATIVO: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA

AIDA CRUZ MACHADO, MARIA IZABEL DOS SANTOS NOGUEIRA, ROBERTA MACHADO ALVES e orientado por ANA KARINA DA CRUZ MACHADO

DE ACORDO COM A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2006), AS PRINCIPAIS PATOLOGIAS QUE ACOMETEM OS IDOSOS SÃO OS PROBLEMAS CARDÍACOS, DIABETES E HIPERTENSÃO, QUE SÃO DESENVOLVIDA AO LONGO DOS ANOS E ACENTUADOS COM O AUMENTO DA IDADE, ONDE UMA FORMA DE PREVENIR, DIMINUIR OU RETARDAR ESSES PROBLEMAS É A PRATICA REGULAR DE EXERCÍCIOS FÍSICOS QUE TAMBÉM CONTRIBUEM NA DIMINUIÇÃO DE INTERNAMENTOS E HOSPITALIZAÇÕES. O PRESENTE ARTIGO VISA DISCUTIR A IMPORTÂNCIA DE SE INCENTIVAR A DISCUSSÃO EM TORNO DO ENVELHECER ATIVAMENTE POSSIBILITANDO MAIOR REFLEXÃO SOBRE O PROCESSO SAÚDE-DOENÇA EXCLUINDO O SEDENTARISMO E A OCIOSIDADE DO PRESENTE PARA GARANTIA DE QUALIDADE DE VIDA FUTURA. FOI REALIZADA UMA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA DE CARÁTER QUALITATIVO, NO PERÍODO DE JANEIRO A ABRIL DO CORRENTE ANO (2019). OS RESULTADOS APONTAM QUE A CONSTRUÇÃO DO ENVELHECIMENTO ATIVO TEM SIDO UM DESAFIO PARA A SAÚDE PÚBLICA, PORÉM SE TORNA IMPORTANTE A MEDIDA EM QUE OS IMPACTOS TRAZIDOS PELO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO PATOLÓGICO SE TORNAM ONEROSOS AO SUS E DESGASTANTES E IMPACTAM NA QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO, NESTE SENTIDO, TORNA-SE FUNDAMENTAL DISCUTIR A TEMÁTICA EM VISTAS DE CONQUISTAR INDEPENDÊNCIA, VISANDO CONTRIBUIR PARA UMA NOVA GERAÇÃO DE IDOSOS MAIS FORTES, COM MAIS AUTOESTIMA E AUTONOMIA.

Veja o artigo completo: PDF