Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO, MARCHA E DOR EM IDOSOS

NEILDJA MARIA DA SILVA, BÁRBARA CRISTIANNY DA SILVA, THALÍA NATASHA SILVA BARBALHO e orientado por NÚBIA MARIA FREIRE VIEIRA LIMA

INTRODUÇÃO: TRANSTORNOS NA MARCHA E NO EQUILÍBRIO ESTÃO ENTRE AS CAUSAS MAIS COMUNS DE QUEDAS EM IDOSOS E FREQUENTEMENTE LEVAM A LESÕES, INCAPACIDADE, PERDA DE INDEPENDÊNCIA E LIMITAÇÕES NA QUALIDADE DE VIDA. JUSTIFICA-SE, O ESTUDO DEVIDO A IMPORTÂNCIA DA IDENTIFICAÇÃO PRECOCE DOS DISTÚRBIOS DA MARCHA E DO EQUILÍBRIO EM IDOSOS COM DOR, DEVIDO AS ALTERAÇÕES ACARRETADAS COM O PROCESSO DA SENESCÊNCIA. O OBJETIVO FOI AVALIAR A MARCHA E O EQUILÍBRIO EM IDOSOS COM DOR CRÔNICA. METODOLOGIA: TRATA-SE DE UM ESTUDO TRANSVERSAL, QUANTITATIVO, COM AMOSTRA NÃO PROBABILÍSTICA E POR CONVENIÊNCIA. DESENVOLVIDO NA FACISA/UFRN. A POPULAÇÃO ESTUDADA FOI IDOSOS DO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ-RN. CRITÉRIOS DE INCLUSÃO: IDADE IGUAL OU ACIMA DE 60 ANOS, CONDIÇÕES COGNITIVAS PARA RESPONDER AOS INSTRUMENTOS. CRITÉRIOS DE EXCLUSÃO FORAM: LIMITAÇÕES FUNCIONAIS E/OU PRESENÇA DE SEQUELAS IMPORTANTES, QUE IMPEDISSEM A AVALIAÇÃO COM OS INSTRUMENTOS E TIVESSEM COMPROMETIMENTO COGNITIVO PARA COMPREENDER COMANDOS SIMPLES. FOI APLICADO OS INSTRUMENTOS A SEUIR: MEEM, SPPB, SF-36. RESULTADOS: FORAM AVALIADOS 76 IDOSOS, IDADE MÉDIA DE (67,7), FREQUÊNCIA MAIOR DE MULHERES (63). MEEM= 23,8 (±2,8); EQUILÍBRIO PELA SPPB=3,81(±0,53), P=<0,001; MARCHA PELA SPPB=3,13(±0,07), P=<0,001. NOSSOS ACHADOS MOSTARAM QUE A POPULAÃO ESTUDADA NÃO APRESENTOU DIFICIT NA MOBILIDADE, E EQUILÍBRIO,SEGUNDO OS ESCORES DOS INSTRUMENTOS. CONCLUSÃO: EVIDENCIOU-SE NESSE ESTUDO QUE A AVALIAÇÃO DA MOBILIDADE, EQUILÍBRIO E DOR, É DE SUMA IMPORTÂNCIA PARA GARANTIR UMA MAIOR FUNCIONALIDADE DESSES INDIVÍDUOS.

Veja o artigo completo: PDF