Resumo Trabalho

EDUCAÇÃO EM SAÚDE: O USO DE MEDICAMENTOS POR IDOSOS

LAÍS PATRÍCIO FERREIRA, MARIA LUIZA BRONZEADO PESSOA e orientado por CLÉSIA OLIVEIRA PACHÚ

NO MUNDO CONTEMPORÂNEO, É NOTÓRIO O NÚMERO CRESCENTE DE IDOSOS. TAL FATO TEM GERADO UMA SÉRIE DE PROBLEMAS RELACIONADOS AO USO CORRETO DE MEDICAMENTOS. NESTE SENTIDO, A MAIORIA ACABA COMETENDO ERROS DESDE A AQUISIÇÃO DOS MEDICAMENTOS ATÉ A ADMINISTRAÇÃO POR CONTA DAS DIFICULDADES FÍSICAS, EMOCIONAIS E ATÉ FINANCEIRAS. OBJETIVOU-SE PROMOVER EDUCAÇÃO EM SAÚDE ACERCA DO USO COERENTE DOS MEDICAMENTOS UTILIZADOS POR IDOSOS. FOI UTILIZADA METODOLOGIA ATIVA DO TIPO APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMAS COM IDOSOS DA UNIVERSIDADE ABERTA A MAIORIDADE DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA, CAMPUS CAMPINA GRANDE, PARAÍBA. FORAM ASSISTIDOS 27 INDIVÍDUOS DURANTE O PERÍODO DE FEVEREIRO A MAIO DE 2019 EM ENCONTROS REALIZADOS PERIODICAMENTE. NO PRIMEIRO MOMENTO FOI REALIZADA RODA DE CONVERSA COM IDOSOS PARTICIPANTES VOLUNTÁRIOS DA PRESENTE INTERVENÇÃO ACERCA DA FORMA DE USOS DOS MEDICAMENTOS, INFORMAÇÕES FARMACOLÓGICAS ALÉM DE QUESTÕES RELACIONADAS AO COMPORTAMENTO MENTAL E SOCIAL. NO SEGUNDO MOMENTO, FOI REALIZADA DINÂMICA EM QUE OS PARTICIPANTES PARTICIPARAM DE FORMA ESPONTÂNEA DA ATIVIDADE, MOMENTO DE DESCONTRAÇÃO E APRENDIZADO. POR FIM, PROCEDEU-SE A VERIFICAÇÃO DOS PARÂMETROS FISIOLÓGICOS, ORIENTAÇÕES EM RELAÇÃO AO ARMAZENAMENTO E ADMINISTRAÇÃO E ANÁLISE DOS DADOS OBTIDOS. EM RELAÇÃO AO USO DE MEDICAMENTOS ENTRE TODOS OS IDOSOS PARTICIPANTES 24 UTILIZAM AO MENOS UM MEDICAMENTO DE 27 IDOSOS, MOSTRANDO QUE APENAS 3 NÃO UTILIZA NENHUM TIPO DE MEDICAMENTO. ACERCA DA QUANTIDADE DE MEDICAMENTOS UTILIZADOS POR IDOSOS APENAS 1 DOS ASSISTIDOS DISSE QUE UTILIZA UM ÚNICO MEDICAMENTO. A PARTIR DAS INFORMAÇÕES FOI POSSÍVEL PERCEBER QUE O CONTATO COM A FAMÍLIA OU AMIGOS, COMO TAMBÉM O NÍVEL DE ESCOLARIDADE, INFLUENCIAM DIRETAMENTE NO NÍVEL DE INFORMAÇÕES EM RELAÇÃO AO USO E ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO, COMPORTAMENTO, RELACIONAMENTO INTERPESSOAL COM PROFISSIONAIS DE SAÚDE E COM OUTRAS PESSOAS QUE DESEJAM AJUDÁ-LOS DE ALGUMA MANEIRA. PÔDE-SE CONCLUIR A PRESENÇA DE POLIMEDICAÇÃO E AUTOMEDICAÇÃO COMO CONSEQUÊNCIA DIRETA DO DIA A DIA, MUITAS DAS VEZES, SEM COMPANHIA DE FAMILIARES OU AMIGOS. TAIS OBSERVAÇÕES REMETEM A IMPORTÂNCIA DO OLHAR FARMACÊUTICA ULTRAPASSANDO O DEVER DA ORIENTAÇÃO NA DISPENSAÇÃO DO MEDICAMENTO NO TRATAMENTO COM IDOSOS. URGE O SENSÍVEL ACOMPANHAMENTO RELACIONADO À IDOSOS QUE PRECISAM MAIS QUE APENAS INSTRUÇÕES TÉCNICAS, MAS UM ACOLHIMENTO ESPECÍFICO E HUMANIZADO PARA MELHORES RESULTADOS EM TODOS OS ÂMBITOS DA VIDA DO IDOSO.

Veja o artigo completo: PDF