Resumo Trabalho

FATORES ASSOCIADOS À ADESÃO AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO EM IDOSOS NO SEGUIMENTO DE ATENÇÃO PRIMÁRIA

MARCÍLIO SAMPAIO DOS SANTOS., MÁRCIA ANDRÉA GONÇALVES LEITE, OLAVO LEITE DE MACEDO NETO, MÉRCIA AURÉLIA GONÇALVES LEITE e orientado por CELMO CELENO PORTO

OBJETIVOU-SE IDENTIFICAR AS PRINCIPAIS DIFICULDADES DOS IDOSOS EM ADOTAR UM REGIME TERAPÊUTICO. É UM ESTUDO COM COLETA DE DADOS PRIMÁRIOS, PROSPECTIVO, TRANSVERSAL DE BASE POPULACIONAL, EXPLORATÓRIA E DE CARÁTER QUANTITATIVO. O UNIVERSO DA PESQUISA FOI COMPOSTO POR PESSOAS IDOSAS, COM ALGUMA DOENÇA CRÔNICA NÃO TRANSMISSÍVEL, SENDO O “N” AMOSTRAL DE 235 IDOSOS, RESIDENTES NA CIDADE DE BARRA DO GARÇAS, ESTADO DE MATO GROSSO, NOS MESES DE ABRIL A SETEMBRO DE 2017. A ANÁLISE ESTATÍSTICA FOI REALIZADA COM O AUXÍLIO DO PACOTE ESTATÍSTICO SPSS VERSÃO 23. A MAIORIA DOS IDOSOS ERAM MULHERES, APOSENTADAS, SEDENTÁRIAS. TOMAM REGULARMENTE OS SEUS MEDICAMENTOS, ENTENDEM E CONFIAM NAS ORIENTAÇÕES FEITAS PELOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE. OS PRINCIPAIS MOTIVOS À NÃO ADESÃO AO TRATAMENTO MEDICAMENTO FORAM O ESQUECIMENTO, DESÂNIMO, ALTO CUSTO, E DÉFICITS COGNITIVOS. OS IDOSOS RELATARAM TEREM MEDO DOS EFEITOS COLATERAIS E QUANDO DA OCORRÊNCIA PARAVAM DE TOMAR O MEDICAMENTO.

Veja o artigo completo: PDF