Resumo Trabalho

ESTRATÉGIAS PARA MINIMIZAR OS FATORES INTERFERENTES NA ADESÃO MEDICAMENTOSA NO PACIENTE IDOSO

LUANA SAYURI OKAMURA, FERNANDO EMANUEL DE SOUSA FERREIRA, CÉSAR AUGUSTO COSTA DE MEDEIROS, MATHEUS MERSON DE ARAÚJO SILVA e orientado por STHEFANY GOMES DE ANDRADE

O CRESCIMENTO EXPONENCIAL DA POPULAÇÃO IDOSA ESTÁ DIRETAMENTE RELACIONADO COM A INCIDÊNCIA DE PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS, TORNANDO ESTE GRUPO O PRINCIPAL CONSUMIDOR DE MEDICAMENTOS. A ADESÃO AO TRATAMENTO É UM DOS PRINCIPAIS PONTOS NA EVOLUÇÃO CLÍNICA DO PACIENTE, SENDO QUE OS IDOSOS APRESENTAM MAIORES DIFICULDADES NA ADESÃO MEDICAMENTOSA, DEVIDO, PRINCIPALMENTE, À POLIMEDICAÇÃO. NO ENTANTO, ESTE PROBLEMA APRESENTA CAUSAS MULTIFATORIAIS. DIANTE DESTA PROBLEMÁTICA, ESTE TRABALHO TEM COMO OBJETIVO AVALIAR E APRESENTAR ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR A ADESÃO MEDICAMENTOSA DOS IDOSOS, NO INTUITO DE MELHORAR A TERAPÊUTICA E, CONSEQUENTEMENTE, A QUALIDADE DE VIDA DESTES PACIENTES. A METODOLOGIA ABORDADA PARA PRODUÇÃO DESTE ARTIGO BASEOU-SE EM UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA, A PARTIR DE UMA AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE TRABALHOS ENCONTRADOS NA LITERATURA, SELECIONANDO UM TOTAL DE 32 ARTIGOS. OS RESULTADOS DA PESQUISA APRESENTARAM QUE HÁ TRÊS FATORES RELACIONADOS AO BAIXO GRAU DE ADESÃO MEDICAMENTOSA, SENDO ESTES OS FATORES INTRÍNSECOS, EXTRÍNSECOS E FATORES RELACIONADOS AO MEDICAMENTO/DOENÇA. A POLIFARMÁCIA, PRESCRIÇÕES COMPLEXAS E O COMPROMETIMENTO COGNITIVO FORAM OS PRINCIPAIS OBSTÁCULOS IDENTIFICADOS NA ADESÃO MEDICAMENTOSA AO PACIENTE IDOSO. AS PRÁTICAS ABORDADAS PARA MELHORAR ESTE PROBLEMA APRESENTARAM MELHOR RESULTADO QUANDO A EQUIPE DE SAÚDE TRABALHOU DE FORMA INTEGRATIVA, PRINCIPALMENTE, QUANDO SE TRATANDO DA RELAÇÃO POSITIVA ENTRE O PRESCRITOR E O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO, JUNTAMENTE COM O ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO IDOSO. O SUPORTE FAMILIAR E O INCENTIVO A AUTONOMIA DO IDOSO TAMBÉM MOSTRARAM SER DE GRANDE IMPORTÂNCIA PARA MELHORAR A ADESÃO À TERAPIA PRESCRITA.

Veja o artigo completo: PDF