Resumo Trabalho

PRÁTICAS INTEGRATIVAS EM SAÚDE: MUSICOTERAPIA COMO RECURSO FACILITADOR DA ATENÇÃO À SAÚDE DO IDOSO EM PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

PAULA CRISTINA DANTAS CAVALCANTE e orientado por PRISCILLA DANTAS CAVALCANTE e orientado por PRISCILLA DANTAS CAVALCANTE

Introdução: O envelhecimento populacional compõe um importante fenômeno mundial, que teve início em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Dessa maneira, pesquisas sobre esse grupo social são bastante relevantes, refletindo assim, as modificações ocorridas no Brasil, e fazendo com que, sejam desenvolvidas pelas entidades governamentais, ações na área de saúde que contribuam com esse novo cenário1. Objetivo: o relato tem por objetivo descrever as ações desenvolvidas e as contribuições de um projeto de extensão universitária para idosos da comunidade, como também, para a formação de acadêmicos. Metodologia: o estudo faz parte de ações desenvolvidas pelo projeto UNCISATI, vinculado à Pró-Reitoria de Extensão, na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas. As vivências foram realizadas no primeiro semestre do ano de 2017, com a participação de acadêmicos de enfermagem e uma profissional da área de psicologia, sendo instrutores do projeto, onde se utilizou como recurso facilitador, promoção da saúde e práticas integrativas e complementares em saúde, a qual foi escolhida a musicoterapia. Resultados: são criados espaços para os grupos de idosos, onde se abordam variados temas acerca do envelhecimento saudável e prazeroso. São desenvolvidas dinâmicas em grupo, com a finalidade de motivar e estimular a autoconfiança no processo de envelhecimento. Nos encontros, conseguiu-se fortalecer a ideia do idoso como protagonista no processo de envelhecer de maneira ativa, fundamentando-se na promoção da saúde. Pôde-se constatar esta conquista através da fala dos idosos, que relataram como o projeto os ajudou no modo de compreender que é possível envelhecer de maneira prazerosa e saudável, sendo participativos na sociedade. Em momentos específicos da oficina foi desenvolvida rodas de conversa a respeito das terapias integrativas e complementares. Houve a descrição dos tipos de terapias, como elas funcionam e o seu propósito, muitos relaram que já usaram as terapias, ou que ainda usam, sendo as mesmas, bastante benéficas para o bem-estar. Depois dessa troca de saberes, trouxemos para a oficina em variados momentos a musicoterapia. Ao final das dinâmicas, os idosos descreveram as práticas de musicoterapia como sendo prazerosas e animadoras. Algumas músicas traziam sentimentos de emoção e outras, lembranças da juventude. Uma participante do grupo é musicista, e contribuiu com os momentos de musicoterapia, trazendo o instrumento de teclas eletrônico para os encontros. As músicas eram escolhidas pelos idosos e arremetiam para momentos especiais de todos os presentes no grupo. Conclusão: Nessa vivencia, a avaliação dos idosos ao final das atividades traduz o quão importante são as ações deste projeto como espaço de promoção à saúde, possibilitando importantes abordagens sobre o envelhecimento ativo e prazeroso, contribuindo para motivação e autoestima dos idosos, como seres protagonistas da saúde. A musicoterapia contribuiu de maneira significativa na promoção da saúde, no bem-estar físico e emocional e na interação do grupo, mostrando assim, os benefícios das terapias alternativas e completares na saúde. O contato com grupos específicos da população, ofertados por projetos de extensão, permite que o acadêmico da área da saúde desenvolva reflexões e habilidades sobre as diversas maneiras de promover à saúde, possibilitando grandes percepções aos futuros profissionais.

Veja o artigo completo: PDF