Resumo Trabalho

VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR CONTRA A PESSOA IDOSA NO BRASIL

JUAREZ FERREIRA DO NASCIMENTO JUNIOR, JULYCLEID BORGES RAMALHO, PEDRO ALEIXO SOARES, STHEFFANNY DA CONCEIÇÃO ANTÃO e orientado por SHEYLA CHRISTINE SANTOS FERNANDES e orientado por SHEYLA CHRISTINE SANTOS FERNANDES

Este estudo tem como objetivo descrever os tipos de violência contra a pessoa idosa, a partir de notícias publicadas em matérias jornalísticas, e classificar os agentes causadores de violência nos casos relatados em matérias jornalísticas na mídia digital. O fenômeno da violência, evidenciado em diferentes espaços de convívio social, constitui uma questão que afeta os direitos humanos e que compromete a qualidade de vida dos cidadãos vitimados. os profissionais da saúde indicaram os filhos como sendo os principais agressores de idosos na violência intrafamiliar (73,2%), outros agressores apontados são os netos (39,4%), cuidadores que não possuem grau de parentesco (34,5%), outros parentes (23,7%) e os cônjuges (22,7%). Há sempre uma tendência a correlacionar os filhos como sendo os principais agressores na violência doméstica contra a pessoa idosa. São crescentes os casos de violências contra o idoso noticiados na mídia, apesar da criação de novas leis, tal como o Estatuto do Idoso, a lei mais importante que tenta garantir a integridade, saúde e ampara os idosos garantindo-lhes seus direitos. A violência contra a pessoa idosa é um fenômeno que vem crescendo em todo o mundo devido o próprio aumento do envelhecimento da população. Esse processo de crescimento demográfico da população idosa é explicado pelo fato da redução da natalidade, da mortalidade e pelo desenvolvimento da medicina e da tecnologia. Devido aos danos de saúde provocados às vítimas, a violência doméstica contra os idosos se constitui, a princípio, como grave questão de saúde pública, pois eleva gastos hospitalares, afeta a qualidade de vida e pode até causar danos permanentes à vida dessas pessoas. Uma grande parcela de pessoas idosas, seja na instituição familiar ou em instituições sociais, têm sido vítima de maus tratos, negligência e outras dimensões de abuso, o que caracteriza a violação dos direitos e da cidadania dessas pessoas. Os cuidados e assistências às vítimas de abuso e violência encontram um espaço privilegiado dentro dos serviços de saúde, haja vista esses serviços possuem um papel importante para resolução dos danos gerados pela violência que ocorre tanto em contexto familiar quanto em contexto institucional. Existem alguns tipos de violência que afetam, sobretudo, as pessoas mais frágeis e dependentes. Essa vulnerabilidade tem um acúmulo de combinações sociais de enfrentamento que os tornam ainda mais debilitados: esses tipos de violência são frequentemente combinados aos abusos físicos, psicológicos, econômico-financeiros, sexual, abandono, negligências e autonegligências. Em decorrência da violência, o idoso passa a ter sua autonomia afetada, porque na maioria das vezes acaba se tornando uma pessoa dependente de cuidados familiares permanentes. Essa é uma questão importante a ser tratada, porque quanto mais dependente de cuidados, mais vulnerável à violência torna-se a pessoa idosa.

Veja o artigo completo: PDF