Resumo Trabalho

INTOXICAÇÃO MEDICAMENTOSA: OS RISCOS POR TRÁS DAS INTERAÇÕES E AUTOMEDICAÇÃO

IAGO ALEXANDRE DA SILVA, JESSYKA MARIANE CRUZ SILVA e orientado por LAURADELLA GERALDINNE SOUSA NÓBREGA

O USO INDISCRIMINADO DE MEDICAMENTOS CONSTITUI A PRINCIPAL CAUSA DE INTOXICAÇÕES NO BRASIL, MOSTRANDO QUE ESTE HÁBITO ATINGE PROPORÇÕES PREOCUPANTES. DE ACORDO COM O DATAFOLHA, EM UMA PESQUISA REALIZADA RECENTEMENTE A PEDIDO DO CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA (CFF), 77% DOS BRASILEIROS SE AUTOMEDICAM. QUANDO UTILIZADOS DA MANEIRA CORRETA, AS MEDICAÇÕES DIMINUEM TAXAS DE MORTALIDADE, PROMOVENDO O BEM-ESTAR, SENDO ALIADAS DA MANUTENÇÃO DA SAÚDE, PORÉM NÃO SE TRATA DE SUBSTÂNCIAS QUE PROMOVEM SOMENTE A CURA, POIS DEPENDENDO DA DOSE OU DO TIPO DE USO, DANOS SÃO OBSERVADOS E AS CONSTANTES OCORRÊNCIAS RELACIONAS A INTOXICAÇÕES MEDICAMENTOSAS EXPÕEM OS RISCOS QUE O INDIVÍDUO CORRE. ESTAS INTOXICAÇÕES PODEM PROVOCAR EPISÓDIOS DE VÔMITO, SONOLÊNCIA, DIARREIA, SUDORESE, DIFICULDADE PARA RESPIRAR, CONVULSÃO, CONFUSÃO MENTAL, PARALISIA, PERDA DE CONSCIÊNCIA, E ATÉ MESMO A MORTE. ALGUMAS CLASSES SÃO MAIS VULNERÁVEIS, E O IDOSO ACABA SENDO UMA DAS PRINCIPAIS VÍTIMAS, UMA VEZ QUE O ENVELHECIMENTO PROVOCA ALTERAÇÕES FARMACOCINÉTICAS E FARMACODINÂMICAS, POSSIVELMENTE OCASIONADAS DEVIDO A MODIFICAÇÕES NO FLUXO SANGUÍNEO HEPÁTICO, NA TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR E NO METABOLISMO BASAL, E COMO CONSEQUÊNCIA PODEM HAVER EPISÓDIOS DE INTOXICAÇÕES MEDICAMENTOSAS. OS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE SÃO IMPORTANTES AGENTES IDENTIFICADORES DOS PACIENTES DE RISCO, DOCUMENTANDO INTERVENÇÕES COMO MEDIDAS PROFILÁTICAS, AFIM DE DIMINUIR OS CASOS DE INTOXICAÇÃO OCASIONADAS POR MEDICAMENTOS, DANDO A DEVIDA ATENÇÃO À POPULAÇÃO MAIS VULNERÁVEL PARA QUE OCORRA AS MUDANÇAS NECESSÁRIAS, MELHORANDO O CENÁRIO ATUAL.

Veja o artigo completo: PDF