Resumo Trabalho

LIMIAR GUSTATIVO AO DOCE EM IDOSOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS

ADRIANO ALMEIDA SOUZA, SABRINA DA SILVA CAIRES e orientado por CEZAR AUGUSTO CASOTTI e orientado por CEZAR AUGUSTO CASOTTI

Introdução: O envelhecimento traz mudanças progressivas como a redução da capacidade funcional e alterações referentes ao paladar, assim como pouca sensibilidade para gostos primários. Objetivo: O presente estudo objetivou identificar o limiar gustativo ao doce de idosos hipertensos e diabéticos. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico e transversal, realizado com pessoas idosas cadastradas no programa de acompanhamento de hipertensos e diabéticos em uma unidade de saúde da família do município de Jequié-BA. Conduziram-se visitas domiciliares para obter informações sociodemográficas e realizar o teste de limiar gustativo ao doce, utilizando soluções de sacarose nas concentrações de 0,5, 1,0, 2,0, 4,0 e 8,0 gramas. O cálculo do peso das substâncias foi realizado de acordo com o volume e concentração das soluções, seguindo a série geométrica estabelecida pela International Organization for Standartion. Os dados foram analisados nos programas Excel e SPSS. Resultados: participaram do estudo 50 idosos com média de idade de 67,80 (DP=5,4), sendo 70% do sexo feminino. A média do limiar gustativo ao doce foi de 4,06g/L sendo em hipertensos 3,55g/L, diabéticos 3,53g/L e hipertensos e diabéticos 5,07g/L. Verificou-se que 90% dos idosos apresentam alterações gustativas e 10% possuem acuidade gustativa preservada. Entre os idosos 12% apresentam Percepção gustativa leve, 26% Percepção gustativa moderada, 26% Percepção gustativa grave e 26% Sem percepção gustativa. Conclusão: o limiar gustativo ao doce dos idosos cadastrados no programa de acompanhamento de hipertensos e diabéticos é alto. Os idosos com hipertensão e diabetes apresentaram limiar gustativo maior quando comparado aos indivíduos com hipertensão ou diabetes isoladamente.

Veja o artigo completo: PDF