Resumo Trabalho

PLANEJAMENTO URBANO E O DESENHO DE ESPAÇOS PÚBLICOS NA CIDADE: IMPLICAÇÕES PARA A LONGEVIDADE

VIVIANE GARIBA DE SOUZA, NOELLY CRISTINA HARRISON MERCER e orientado por SILVANA ANDRADE PENA e orientado por SILVANA ANDRADE PENA

Este trabalho, que se encontra na fase de pesquisa preliminar, trata da longevidade e qualidade de vida no meio urbano, trazendo primeiramente considerações sobre as transformações demográficas no Brasil, o aumento da longevidade em contexto de baixo aumento da renda e o desafio da qualidade de vida do idoso no meio urbano. Ressalta-se a importância do espaço aberto de lazer e convivência comunitária para a saúde física e mental do idoso. Discute também como o planejamento urbano pode contribuir para garantir a acessibilidade do idoso a estes espaços em contexto de desigualdades socioespaciais e elenca os principais aspectos que devem ser levados em consideração no desenho desses espaços no meio urbano brasileiro visando o aumento e manutenção da longevidade. Para tanto apresenta-se um contraponto entre dois espaços públicos localizados na cidade Curitiba, levantando hipóteses relacionadas as características físicas, políticas e sociais importante e que de acordo com o referencial teórico estudado, impacta a saúde e longevidade do idoso. A escolha dos dois espaços urbanos foi feita com base no estudo Índices de Envelhecimento (2010) realizado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC). Por meio do estudo foram selecionados espaços localizados em bairros com maior índice de pessoas com 65 anos ou mais de idade, conforme a metodologia de definição do próprio IPPUC. Adicionalmente, buscou-se selecionar um espaço que tivesse uma vocação para utilização por pessoas com esse perfil, no caso a Praça Ouvidor Pardinho e outro espaço que fosse utilizado por um público mais heterogêneo, para que assim conseguisse perceber diferenças entre espaço preparados para ser utilizado por um contingente maior de idosos e outro com concepção de um espaço urbano universal. Após essa escolha forma feitas visitas in loco visando a caracterização dos espaços por meio de fotos e percepções pessoais. Para a segunda fase do estudo, que está em andamento, será realizada uma pesquisa amostral com os frequentadores dos dois espaços visando a busca da percepção dos usuários. Após isso será montado um relatório com as análises dos dados e apresentado à prefeitura de Curitiba com possíveis indicações de melhorias buscando a adequação e possíveis melhorias que permitam maior inserção do público idoso aos espaços públicos da cidade. Nesse ínterim o trabalho aqui apresentado pretende mostrar as primeiras hipóteses levantadas no estudo de campo, e que serão testadas por meio de uma pesquisa amostral que já está em fase de elaboração. Com os resultados tabulados, objetiva-se apresentar à prefeitura de Curitiba sugestões de melhorias simples nesses espaços urbanos, mas que sejam capazes de trazer benefícios para a população idosa que frequenta esses locais. Como resultados preliminares, observa-se que os espaços urbanos pesquisados não estão totalmente adequados para a inserção da pessoa idosa, considerando as três características eleitas como base do estudo e, portanto, precisam de intervenções públicas urgentes, mesmo àqueles onde o público idoso é o maior frequentador. Salienta-se que, essas são observações preliminares e compõem uma hipótese de pesquisa que será testada por meio da pesquisa amostral prevista no trabalho e que está em fase de construção.

Veja o artigo completo: PDF