Resumo Trabalho

ANÁLISE DA ADAPTAÇÃO DE IDOSOS COM ESTOMIAS INTESTINAIS DO RIO GRANDE DO NORTE

BRENO WAGNER ARAÚJO COSME DA SILVA , MAYRA BEATRIZ COSTA MEDEIROS, SIMONE KARINE DA COSTA MESQUITA , SUENIA S M XAVIER e orientado por ISABELLE KATHERINNE FERNANDES COSTA

OBJETIVO: VERIFICAR O NÍVEL DE ADAPTAÇÃO DA PESSOA IDOSA COM ESTOMIAS INTESTINAIS NO RIO GRANDE DO NORTE. MÉTODO: PESQUISA ANALÍTICA DE ABORDAGEM QUANTITATIVA REALIZADA COM 74 IDOSOS COM ESTOMIA INTESTINA NO CENTRO DE REABILITAÇÃO INFANTIL E ADULTO DO RIO GRANDE DO NORTE, ONDE FOI APLICADO UM QUESTIONÁRIO SOCIODEMOGRÁFICO E A ESCALA DE VERIFICAÇÃO DO NÍVEL DE ADAPTAÇÃO DO ESTOMIZADO (ENAE). RESULTADO: APESAR DE APENAS 23% DOS IDOSOS COM ESTOMIAS NÃO SE SENTIREM ADAPTADOS, NÃO FORAM IDENTIFICADAS DIFERENÇAS SIGNIFICATIVAS QUANTO AOS ESCORES NOS MODOS ADAPTATIVOS E NA ENAE GERAL QUANDO COMPARADOS OS IDOSOS ENTRE GÊNEROS. PORÉM DESTACA-SE QUE, DE MANEIRA GERAL, OS IDOSOS APRESENTARAM BAIXOS ESCORES ADAPTATIVOS. CONCLUSÃO: FOI PERCEBIDO QUE AS PESSOAS IDOSAS COM ESTOMIA APRESNTAM BAIXOS ESCORES ADAPTATIVOS EM TODOS OS QUATRO MODOS ADAPTATIVOS SEGUNDO ROY. SENDO ASSIM, É IMPORTANTE QUE O ENFERMEIRO UTILIZE ESSA ESCALA NÃO SÓ PARA MENSURAR O QUANTO O PACIENTE ESTEJA ADAPTADO, MAS QUE PLANEJE AS SUAS AÇÕES ATRAVÉS DELA, UTILIZANDO-A COMO PARÂMETRO DE AVALIAÇÃO.

Veja o artigo completo: PDF