Resumo Trabalho

EDUCAÇÃO EM SAÚDE SOBRE IMPLICAÇÕES DO CLIMATÉRIO E MENOPAUSA NO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO FEMININO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

ANA FLÁVIA SILVA LIMA, MARIO CESAR FERREIRA LIMA JUNIOR e orientado por JOVÂNIA MARQUES DE OLIVEIRA E SILVA e orientado por JOVÂNIA MARQUES DE OLIVEIRA E SILVA

Introdução: A população mundial tem vivido uma realidade de aumento da longevidade e, consequentemente, o quantitativo de mulheres que vivenciam o climatério e menopausa é bastante expressivo, o que enfatiza atenção e políticas públicas de saúde que contemplem a mulher em todas as fases de suas vidas. Até porque, a qualidade do envelhecimento feminino no Brasil pode ser comprometida pela desigualdade enfrentada pelas mulheres no ambiente de trabalho e até familiar. Os espaços que propiciam informação e orientação a respeito das dificuldades vivenciadas pelas mulheres nesta fase da vida possibilitam que as mesmas tenham uma melhor qualidade de vida. Objetivo: Relatar experiência de graduandas de enfermagem na realização de educação em saúde sobre as implicações do climatério e menopausa no processo de envelhecimento feminino em uma Organização não governamental do estado de Alagoas. Metodologia: Estudo descritivo, do tipo relato de experiência sobre a vivência de acadêmicas de enfermagem como facilitadoras de uma atividade educativa sobre as implicações do climatério e menopausa no processo de envelhecimento feminino com usuários da Organização não governamental (ONG) Pense Alagoas, localizada em município alagoano, durante estágio supervisionado da disciplina de Saúde da Mulher, mês de junho de 2016. Primou-se pela utilização de linguagem simples e acessível e pela participação dos presentes. Utilizou-se a estratégia da exposição de assertivas sobre a menopausa, as quais os presentes julgaram as mesmas em verdadeiro ou falso, através de placas com “V” ou “F” e também de cartaz com desenhos sobre as manifestações clínicas e diferenças entre o climatério e menopausa. Resultados: os participantes se sentiram a vontade para participar, e esclarecer dúvidas, e até de expor suas dificuldades de entender seus familiares que estavam nesta fase da vida. O público demonstrou dificuldade em diferenciar climatério e menopausa, apresentando estranhamento com o termo climatério. Os estudantes de enfermagem aproveitaram a oportunidade para explicar sobre os conceitos e enfatizar que são processos naturais no ciclo de vida da mulher. As idosas apresentaram como dificuldade para a realização de atividade física os problemas de saúde, medo de cair, falta de disposição, de companhia e de recursos. Os participantes mostraram-se tímidos para falar a respeito da sexualidade e sobre os métodos de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis. O grupo de acadêmicos pôde contribuir informando-os que a sexualidade, não se restringe a reprodução ou a relação sexual (coito), mas envolve atitudes, comportamentos e interações. Orientou-se a respeito do uso do lubrificante e do preservativo masculino e feminino. Conclusão: A experiência de realizar esta educação em saúde oportunizou aos acadêmicos, desenvolverem habilidades técnicas e a sensibilidade para trabalhar educação em saúde e as implicações do climatério e menopausa como um fenômeno inserido no processo de envelhecimento feminino e que traz consigo consequências biológicas, psicológicas e sociais importantes, a fim de oferecer informações e orientações que possibilitem uma melhor vivência as mulheres e a compreensão desta fase aos seus próximos, possibilitando melhor qualidade de vida.

Veja o artigo completo: PDF