Resumo Trabalho

SOBRECARGA DE TRABALHO DE CUIDADORES IDOSOS DE PESSOAS IDOSAS COM DEMÊNCIA

KEILA CRISTIANNE TRINDADE DA CRUZ, LILIA BRAZ DA SILVA e orientado por KEILA CRISTIANNE TRINDADE DA CRUZ e orientado por KEILA CRISTIANNE TRINDADE DA CRUZ

Envelhecer, ainda que saudável, é um processo cheio de alterações, mudanças no corpo e, muitas das vezes de perdas funcionais. Nesta fase da vida há o aumento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), inclusive de demências entre os idosos. A demência se instaura fazendo o idoso perder gradualmente sua capacidade de cuidar de si mesmo, as atividades que antes eram simples tornam-se muito complexas e impossíveis de serem executadas. Com o quadro demencial confirmado, a família também é atingida e assim é necessária uma reorganização familiar para dar assistência à pessoa idosa com demência. Quando o cuidador familiar também é um idoso, a atenção por parte dos serviços de saúde deve ser redobrada, pois o idoso mesmo saudável tem suas limitações próprias da idade. Assim o presente estudo tem como objetivo avaliar a sobrecarga do cuidador idoso de idosos com demência. Trata-se de uma pesquisa exploratória, transversal, descritiva e de natureza quantitativa. As entrevistas foram realizadas com 17 cuidadores idosos familiares, com idade igual ou acima de 60 anos no Centro Multidisciplinar do Idoso de um Hospital Universitário do Distrito Federal. A média de idade dos cuidadores idosos foi de 67,7 anos, a faixa etária variou entre 60 e 80 anos. Em relação aos cuidadores idosos a prevalência foi: mulheres, casadas, com escolaridade entre o ensino médio completo e o ensino superior completo, com renda familiar entre cinco a dez salários mínimos, a maioria estava aposentada e não recebiam auxílio financeiro para cuidar do idoso. Em relação ao parentesco a maioria eram cônjuges ou filhas do idoso. Sobre o tempo dedicado aos cuidados com idoso em sua maioria estava entre dois e cinco anos e as horas diárias na maioria das vezes estava acima de 18 horas diárias. A maioria dos cuidadores auxiliavam os idosos nas Atividades Básicas da Vida Diária e nas Atividades Instrumentais da Vida Diária. Sobre a saúde dos cuidadores a maioria referiu não ter nenhuma DCNT e não tomar nenhum tipo de medicamento. Dentre os que afirmaram ter algum tipo de DCNT a Hipertensão Arterial constava na maioria dos casos. Sabe-se que o cuidado dispensado ao idoso com demência torna-se mais estressante por causa das complicações que surgem o longo do tempo com a progressão da demência. Neste sentido, quando se trata de cuidadores idosos é importante destacar a necessidade de suporte para avaliar ainda mais a sobrecarga resultante dos cuidados prestados. É essencial observar as fragilidades que já são comuns da idade avançada e adotar estratégias que auxiliem estes idosos cuidadores, pois além de executar tarefas que serão destinadas aos cuidados da pessoa idosa com demência sob sua responsabilidade, o idoso cuidador também necessita realiza atividades do autocuidado. Os serviços de saúde devem encarar o envelhecimento – assim como suas especificidades – como algo a ser sempre visto e alcançado pelas políticas públicas de saúde, garantindo ao idoso cuidador de idosos com demência orientações específicas de forma a avaliar a sobrecarga de trabalho bem como sua qualidade de vida.

Veja o artigo completo: PDF