Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE COGNITIVA E DESEMPENHO DE ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIAS DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS E NÃO INSTITUCIONALIZADOS

GEÍSA BATISTA LEANDRO, PALOMA KAREN HOLANDA BRITO, ALESSA CRISTINA MEIRELES DE BRITO e orientado por MARCELO COSTA FERNANDES e orientado por MARCELO COSTA FERNANDES

Introdução: O envelhecimento populacional torna-se realidade a qual o Brasil deve encarar com responsabilidade, pois é o reflexo das mudanças na qual está sendo enfrentada em decorrência da diminuição dos índices de fecundidade e de mortalidade, contribuindo para o aumento da expectativa de vida da população. Objetiva-se relatar a experiência na avaliação da capacidade cognitiva e das atividades de vida diária de idosos institucionalizados e não institucionalizados. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo relato de experiência realizado em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) e em condomínio fechado para idosos. O estudo foi realizado por meio de visitas e acompanhamento de dois idosos, escolhidos aleatoriamente da ILPI e no condomínio fechado, utilizando-se de ficha norteadora de Consulta de Enfermagem ao Idoso. Os instrumentos escolhidos para serem aplicados com os idosos, estavam relacionados à capacidade cognitiva e o desempenho das Atividades de Vida Diária (AVD) básicas e instrumentais, por meio do Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e Escala de Lawton, respectivamente. Resultados: Identificou-se limitações da capacidade cognitiva quando aplicado o Mini- Exame do estado mental. Avaliou-se pelos alunos a forma pela qual os idosos se esforçavam em responder as questões, sendo perceptível o déficit na compreensão das perguntas e nas respostas por meio do relato verbal dos avaliados. No que se refere ao grau de dependência, observou-se a partir da aplicação da Escala de Lawton que o idoso de ILPI apresentou dependência grave, enquanto que o idoso do condomínio fechado não apresentou nenhum grau de dependência. Vale ressaltar que um dos critérios de inclusão para residir no condomínio fechado é o participante apresentar desempenho satisfatório das AVDs, ou seja, apresentarem autonomia e independência. Discussão: Os testes desenvolvidos para adultos e a terceira idade possuem a função de auxiliar na avaliação clínica e ajudar no diagnóstico, caracterizando principais mudanças no comportamento da saúde, principalmente os neurológicos dos idosos. O MEEM possui larga aplicabilidade no mundo, sendo considerado grande aliado dos testes neuropsicológicos, porém há outros testes que auxiliam e/ou complementam o MEEM no diagnóstico das demências que acometem a sociedade, por exemplo: o Desenho do Relógio, Teste de Fluência Verbal por Categorias Semânticas e o Questionário Pfeffer (QPAF – Questionário Pfeffer de Avaliação Funcional). Ao retratar-se na realização de atividades, perpassam no entendimento as limitações que acometem os indivíduos idosos decorrentes das doenças, que por sua vez possa a vir comprometer determinadas funções do organismo. No que se refere envelhecimento saudável, este é a não existência de doenças, em que se possa viver bem, sem percalços que possam dificultar tal bem estar. Considerações Finais: É preciso capacitar profissionais e cuidadores, de modo que possam estar atentos aos sinais e demandas apresentados pelos mesmos. Sensibilizar a todos, de um modo geral o presente cenário local, nacional e mundial com relação ao envelhecimento, tendo em vista que envelhecer não se restringe a uma fase terminal, mas a uma fase da vida madura, nos quais os dias devem ser vividos saudavelmente e com cautela das ações.

Veja o artigo completo: PDF