Resumo Trabalho

A INTERCORRÊNCIA DO MÉTODO PILATES SOLO NAS LIMITAÇÕES FUNCIONAIS DA COLUNA VERTEBRAL ADVINDAS DA DOR CRÔNICA EM IDOSAS ATIVAS

MILENE RODRIGUES EVANGELISTA, MICHEL DOUGLAS DE CASTRO ALMEIDA, VALDA FERREIRA DA SILVA, THAIS THUANNE DE OLIVEIRA SANTANA e orientado por FABIANA GÓES BARBOSA FREITAS e orientado por FABIANA GÓES BARBOSA FREITAS

Introdução: Segundo a International Association for the Study of Pain (IASP), a dor é uma sensação ou experiência emocional desagradável, associada com dano tecidual real ou potencial. Esta se encontra de forma aguda, com duração inferior a 30 dias, ou crônica, com duração superior a 30 dias. O método Pilates surgiu na década de 1920 em meados da Segunda Guerra Mundial pelo alemão Joseph Huberts Pilates. Um dos objetivos é diminuir o impacto nas articulações principalmente as de sustentação do corpo e da coluna vertebral. Com isso, o objetivo deste é trazer uma análise prática sobre os benefícios trazidos pelo método Pilates na modalidade solo diante da dor crônica na coluna vertebral. Metodologia: Tratou-se de um estudo tipo Pesquisa-Ação de campo com análise quantitativa dos dados. A amostra foi constituída por 8 idosas voluntárias. Como critério de seleção da amostra, considerou-se: idosas acima de 60 anos, do gênero feminino, com dores crônicas na coluna vertebral e que participaram do projeto de pesquisa e extensão “Pilates solo na comunidade com a melhor idade” da Faculdade Internacional da Paraíba, João Pessoa/PB. O instrumento utilizado para coletar os dados foi um roteiro de entrevista elaborado com os questionamentos produzidos pelos pesquisadores. Os dados coletados foram analisados quantitativamente através da análise de conteúdo proposto por Bardin (2011), ou seja, foi realizada a pré-análise das informações colhidas, em seguida, o material foi explorado editando-se as entrevistas e selecionando-se as categorias. Os dados foram agrupados em gráficos para apresentação. Resultados e Discussão: Os dados coletados foram distribuídos e analisados em duas categorias: (1) Classificação e Intensidade da dor (2) Melhora nas atividades de vida diária (AVD’s). De acordo com os dados coletados e expostos, percebe-se que todas as voluntárias sentiam dor antes da prática do Pilates Solo, onde 37,5% apresentavam dor moderada, 62,5% apresentavam dor intensa e 0% apresentavam ausência de dor, dor ligeira e dor máxima. É também perceptível a diminuição do nível de dor, em que atualmente 50% apresentam dor ligeira e 50% dor moderada e 0% apresentam dor máxima, dor intensa e ausência de dor. Bem como destaca-se o importante número de pessoas beneficiadas com o método Pilates Solo, onde obteve-se 100% de respostas positivas (SIM), em relação a melhora das AVD’s. Conclusão: A partir do exposto, os resultados do presente estudo indicaram que as atividades desenvolvidas pelo grupo de extensionistas do Projeto Pilates solo na Comunidade com Idosas, possibilitou uma melhora significativa no quadro álgico crônico relatado pelas participantes em questão, melhorando a qualidade de vida e contribuindo para a saúde global.

Veja o artigo completo: PDF