Resumo Trabalho

COMPORTAMENTO PARA PRÁTICAS DE AUTOCUIDADO EM HANSENÍASE NA ATENÇÃO BÁSICA

PAULA SOARES CARVALHO, MATHEUS DE MEDEIROS NÓBREGA, EMANUELLE MALZAC FREIRE DE SANTANA , ESTER MISSIAS VILLAVERDE ANTAS e orientado por VALÉRIA LEITE SOARES

A HANSENÍASE É UMA ENFERMIDADE INFECTOCONTAGIOSA, NEGLIGENCIADA, COM DISTRIBUIÇÃO MUNDIAL, COLOCANDO O BRASIL COMO O SEGUNDO PAÍS MAIS ENDÊMICO DO MUNDO. APESAR DE TRATÁVEL E CURÁVEL, A HANSENÍASE GANHA DESTAQUE PELO SEU ALTO PODER INCAPACITANTE MANTENDO A DOENÇA COMO UM GRANDE PROBLEMA DE SAÚDE MUNDIAL. DIANTE DISSO, TORNA-SE AINDA MAIS ALARMANTE A EVOLUÇÃO DA DOENÇA NO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO, VISTO QUE ESSA POPULAÇÃO REPRESENTA 61,67% DO TOTAL DE CASOS DIAGNÓSTICOS NO BRASIL, ALÉM DE SE ENCONTRAREM MAJORITARIAMENTE NO ESTÁGIO MAIS GRAVE DA DOENÇA. NO ENTANTO, É POSSÍVEL PREVENIR E REDUZIR ESSAS INCAPACIDADES FÍSICAS. DENTRO DESSA PERSPECTIVA DE PREVENÇÃO E CONTROLE DAS INCAPACIDADES FÍSICAS E DEFORMIDADES GERADAS PELA DOENÇA FAZ-SE IMPRESCINDÍVEL AS DEMANDAS DE AUTOCUIDADO. ASSIM, ESTE ESTUDO TEM COMO OBJETIVO INVESTIGAR O COMPORTAMENTO PARA O AUTOCUIDADO NO QUE CONCERNE A TRÍADE “FACE, PÉS, MÃOS” AOS PACIENTES COM HANSENÍASE ATENDIDOS NA REDE DE ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE. TRATA-SE DE UMA PESQUISA DESCRITIVA COM ABORDAGEM QUANTITATIVA, DESENVOLVIDA COM PACIENTES ACOMETIDOS PELA HANSENÍASE E ATENDIDOS NA REDE DE ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE, NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PARAÍBA/BRASIL. OS DADOS FORAM OBTIDOS POR MEIO DE DOIS INSTRUMENTOS SEMIESTRUTURADOS, OBTENDO-SE UMA AMOSTRA DE N 22. COMO RESULTADO DESSE ESTUDO, MOSTROU-SE QUE O COLETIVO ESTUDADO EM SUA MAIORIA NECESSITA MELHORAR AS SUAS PRÁTICAS EM AUTOCUIDADO, ASSIM COMO, HÁ UMA NECESSIDADE DE CAPACITAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA REDE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE NO QUE TANGE AO ACOMPANHAMENTO DOS INDIVÍDUOS ACOMETIDOS POR ESSA DOENÇA.

Veja o artigo completo: PDF