Resumo Trabalho

QUANTIFICAÇÃO DE COMPOSTOS BIOATIVOS EM AMOSTRAS DE CAFÉ, CHÁS VERDE E PRETO, ERVA-MATE E GUARANÁ E SUA RELAÇÃO COM A MODULAÇÃO DE ENZIMAS ANTIOXIDANTES: EM BUSCA DA LONGEVIDADE

AUDREI DE OLIVEIRA ALVES, GRAZIELLE CASTAGNA CEZIMBRA WEIS, VANUSA DO NASCIMENTO, CHARLES ELIAS ASSMANN e orientado por IVANA BEATRICE MÂNICA DA CRUZ e orientado por IVANA BEATRICE MÂNICA DA CRUZ

Café, chás verde e preto, erva-mate e guaraná são exemplos de bebidas amplamente consumidas no mundo sob a forma de infusões, apresentando grande quantidade de moléculas bioativas, com propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, antiobesogênicas, antimutagênicas, antitumorais e efeitos hipolipemiantes. As propriedades antioxidantes comuns a todas estas preparações têm sido amplamente estudadas, tornando possível entender como exercem suas ações na modulação de genes antioxidantes e no potencial aumento da longevidade das populações. No entanto, até o momento, estas propriedades foram determinadas a partir de estudos isolados e com extratos hidroalcoólicos que não simulam as condições reais em que a população os consume. Por este motivo, o objetivo deste estudo foi quantificar os compostos bioativos catequina, cafeína e teobromina em infusões aquosas de café (Coffea arabica), chás verde e preto (Camellia sinensis), erva-mate (Ilex paraguariensis) e guaraná (Paullinia cupana). Além disso, almejou-se investigar a ação nutrigenômica destas cinco bebidas na modulação dos genes das enzimas antioxidantes Superóxido Dismutase 1 e 2 (SOD 1 e SOD 2), Catalase (CAT) e Glutationa Peroxidase (GPX), utilizando células mononucleares do sangue periférico humano (CMSP) obtidas a partir de indivíduos saudáveis. Extratos aquosos quentes foram produzidos em condições semelhantes aquelas em que os seres humanos geralmente consomem essas bebidas, ou seja, infusão de 10g de amostra em 100 mL de água, durante 10 minutos, a 90ºC. A separação, identificação e quantificação dos compostos bioativos foi realizada por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência. Os padrões de cafeína, teobromina e catequina foram injetados em diferentes concentrações construindo uma curva de calibração. A expressão dos genes relacionados ao metabolismo oxidativo e inflamatório (SOD 1, SOD 2, CAT e GPX) foi quantificada por qRT-PCR (reação da enzima Polimerase em tempo real) nas CMSP expostas aos cinco diferentes extratos. Os resultados mostraram que o guaraná e o café apresentaram as maiores concentrações de cafeína, seguidos pelo chá verde e a erva-mate. Já para a teobromina, a erva-mate apresentou concentrações bastante significativas em relação às outras bebidas. Quanto a catequina, o guaraná foi o extrato que apresentou maiores níveis. Em relação expressão gênica das enzimas, houve um importante aumento na regulação dos genes da SOD1, CAT e GPX. No entanto, a intensidade da expressão gênica mostrou-se variável conforme o tipo de extrato testado, uma vez que cada um deles possui diferentes níveis de cafeína. A partir destes resultados é possível sugerir que as bebidas testadas exercem efeitos antioxidantes possuindo importante efeito nutrigenômico. Por este motivo, o consumo moderado destas bebidas é indicado para a prevenção de doenças crônicas, como doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, além de, possivelmente, promover o aumento da longevidade das populações que as consomem.

Veja o artigo completo: PDF