Resumo Trabalho

PREDITORES DE ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL PARA OCTOGENÁRIOS BRASILEIROS

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS

o objetivo deste estudo foi testar e validar uma ferramenta que identifique idosos saudáveis na comunidade com base em critérios simples, bem como identificar os fatores mais importantes na construção de um indicador de envelhecimento saudável. O estudo AGEQOL (Aging, Gender and Quality of Life) é uma coorte com idosos brasileiros com os idosos com 80 anos e mais (N=408. O indicador de envelhecimento saudável foi construído considerando-se os seguintes critérios para identificar um idoso saudável: autopercepção de saúde positiva; ser funcionalmente ativo nas atividades diárias e instrumentais sem déficit cognitivo; ser capaz de caminhar 3 quarteirões sem ajuda; não ter doenças agudas ou crônicas conhecidas; consumir menos de 3 medicamentos; não fumar nem beber de forma ativa. O coeficiente alfa de Cronbach foi utilizado para confirmar a consistência interna e a análise discriminante canônica foi utilizada para validar este indicador de envelhecimento saudável descrito, com um nível de significância de 0,05. Os resultados demonstraram que todos os critérios contribuíram significativamente para a criação do modelo, exceto “auto percepção de saúde” e “não beber”. Por outro lado, os critérios “ausência de doenças agudas ou crônicas” e “caminhar 3 quarteirões” contribuíram 75,8% e 74,7% para a criação da função linear discriminante, respectivamente. Conclui-se que objetivo que o conjunto de nove perguntas foi capaz de identificar satisfatoriamente idosos saudáveis, sendo que os fatores mais importantes na construção do indicador de envelhecimento saudável para esta amostra de octogenários brasileiros foram caminhar 3 quarteirões sem ajuda e não possuir doenças agudas ou crônicas.

Veja o artigo completo: PDF