Resumo Trabalho

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: A ESCOLA COMO ESPAÇO DE INSERÇÃO SOCIAL E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DA AUTONOMIA DE ALUNOS IDOSOS

CLAUDIO MARCELO RAPOSO DE ALMEIDA e orientado por MARIA CLARISSE VIEIRA e orientado por MARIA CLARISSE VIEIRA

Este trabalho buscou investigar os significados de Educação e de Escola para alunos idosos da EJA, bem como, a contribuição da escola para o processo de socialização e de consolidação da autonomia e da independência desses sujeitos, com reflexos em seu cotidiano, propiciando um envelhecimento ativo e bem sucedido. Foi analisada a presença de alunos idosos na escola, caracterizando o aluno idoso da Educação de Jovens e Adultos, especialmente os alunos idosos de uma Escola Classe do Paranoá, no Distrito Federal, com ênfase na relação que esse grupo mantém com a educação e com a escola que, por sua vez, é descrita como um espaço de inserção social. A construção do referencial teórico se deu a partir da exposição do panorama do idoso no Brasil e na Educação, destacando o aumento da população idosa, o idoso no contexto educacional, suas lembranças de uma infância sem escola, sem estudo, o que os atrai para a escola, para a EJA, além de suas impressões quanto às contribuições da EJA para suas vidas, seu cotidiano, com ênfase na consolidação de sua autonomia, de sua independência e nos benefícios para a saúde. Em relação à metodologia utilizada e ao desenvolvimento do presente trabalho, inicialmente caracterizou-se o campo de pesquisa e, na sequência, classificada como uma pesquisa qualitativa e especialmente participante, com a aplicação de entrevistas não diretivas como instrumento para obtenção de dados e a realização de uma atualização bibliográfica acerca do tema, somando-se a isso as experiências vivenciadas ao longo do ano de 2016. Em conclusão, foi constatado que o atual quadro demográfico brasileiro aponta o aumento no número da parcela idosa da população, configurando uma nova realidade, o que gera a necessidade de repensar, reelaborar e reestruturar a sociedade a partir da observação e da percepção dessa nova configuração social, da vivência, da inserção e da interação com todos os sujeitos desse novo mundo, com destaque para os idosos, compreendendo novos conceitos e as atuais concepções de velhice, de velho, de idoso e do próprio processo de envelhecimento.

Veja o artigo completo: PDF