Resumo Trabalho

SEXUALIDADE E QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE

ANA LAYSE DA SILVA, JÉSSICA PEREIRA DOS SANTOS, IARA DA SILVA , WAGNER ALVES DOS SANTOS e orientado por YOLANDA GOMES TORRES PINTO e orientado por YOLANDA GOMES TORRES PINTO

INTRODUÇÃO A velhice, enquanto etapa da vida, na concepção de muitos, ainda, é marcada como sinônimo de incapacidades, seja de ordem física ou mental, tornando os idosos improdutivos no campo econômico e social. A sexualidade quando relacionada ao envelhecimento traduz mitos e tabus, resultando na concepção de que os idosos são pessoas assexuadas. Assim, o objetivo geral do trabalho foi analisar o tema sexualidade e a qualidade de vida e sua importância na terceira idade. Este estudo se justifica pela necessidade de buscar meios para que os idosos tenham prazer em viver a terceira idade, de modo digno e com qualidade, sendo respeitados como indivíduos com vasta experiência de vida e capazes de contribuir com a sociedade. METODOLOGIA O presente artigo foi desenvolvido a partir de uma pesquisa de caráter exploratório e descritivo. O estudo bibliográfico trata-se de uma elaboração apurada sobre determinado tema com material já elaborado constituído principalmente de artigos científicos. Para o desenvolvimento deste artigo buscamos analisar fontes com temas relacionados à sexualidade do idoso. No entanto através da literatura especializada incluindo revistas e artigos científicos. Através do portal da biblioteca virtual de saúde (BVS), que possui sites como: Scielo, Lilacs, Medline e PubMed, a partir dos descritores: envelhecimento, saúde do idoso, velhice, sexualidade e qualidade de vida, no período de agosto de 2017 a outubro de 2017. RESULTADOS E DISCUSSÃO Um das grandes dificuldades que fundamenta este estereótipo de que a velhice convive com a assexualidade é a ênfase que se atribui para a dimensão sexual. Em consequência disso, tanto para jovens há mais tempo‟ como para jovens há menos tempo, ao que parece, vivemos numa ditadura do orgasmo e da frustração, sustentada sobremaneira pela influência midiática. A negação da sexualidade, de manifestações amorosas e a infantilização do idoso concorrem para que estes apresentem dificuldades para se tornar mais independentes, bem como para desenvolver sua sexualidade e estabelecer relacionamentos quaisquer que sejam estes. A influência da cultura sobre a assexualidade dos idosos encontra-se discutida em alguns artigos, preconceitos e tabus estão presentes quando os sujeitos pertencem à faixa etária dos 60 anos. A sexualidade não é expressa somente pelo ato sexual e o sexo nem sempre significa penetração, é preciso separar a genitalidade da sexualidade. À medida que o corpo não responde mais ao desejo, as adaptações sexuais se tornam necessárias e ajudam na expressão da sexualidade em idosos. CONCLUSÕES A presente revisão evidenciou fatores como influência cultural, repressão na educação e ainda falta de informação, quando o assunto é sexualidade. Portanto, esperamos contribuir com informações para um modelo de cuidado que compreenda os idosos na sua singularidade, sabendo lidar com a sexualidade na terceira idade para que eles não fiquem apenas ao conformismo da apatia cultural.

Veja o artigo completo: PDF