Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO NA COMUNIDADE MALHADA MUNICÍPIO DO CRATO - CE

ALIANE CRISTIANE DE SOUSA FORMIGA e orientado por ALLANA KELLEN LIMA SANTOS e orientado por ALLANA KELLEN LIMA SANTOS

Neste artigo foi proposto, a análise físico-química da água superficial e subterrânea do Rio Carás e do poço, localizado no município do Crato-CE, onde a mesma é utilizada para irrigação na Comunidade Malhada, na Ponta da Serra, no mesmo município. Foram coletadas amostras de água em frascos com capacidade de 2000ml.Onde foram vedados, identificados e acondicionados em caixas isotérmicas e logo após, conduzidos para analises nos Laboratórios de Microbiologia, Laboratório de Química e na Central Analítica da Universidade Federal do Cariri-UFCA. Análises físico-químicas foram realizadas, onde os seguintes parâmetros foram determinados: físicos: pH, condutividade elétrica, sólidos totais dissolvidos; Químicos: alcalinidade, cloreto, cálcio, magnésio, sódio, potássio, ferro e manganês. Utilizamos o diagrama de Piper e o diagrama da USSL plotando-se os dados das análises no software QUALIGRAF para a classificação das águas. Obtemos os resultados das análises físico-químicas da água de irrigação da Comunidade Malhada no mês de junho de 2017, onde a água foi coletada em dois pontos: um de água do Rio e o outro de água do poço no qual é usada no abastecimento das culturas irrigadas da região. Para cada parâmetro observa-se que dentre todos observáveis e dispostos, apenas o Ferro na amostra do Rio e o Manganês nas duas amostras não obedeceram aos padrões exigidos pela Resolução, fazendo com que a água tornasse imprópria para irrigação. Os Sólidos Totais dissolvidos é outro parâmetro de grande importância que classifica a água doce de acordo com os limites estabelecidos pela CONAMA 357/2015.Ao analisar o PH a água obteve uma boa qualidade, pois apresenta pouca acidez. Usando o software QUALIGRAF mostrando os demais parâmetros, a classificação das águas para irrigação relacionado com à RASC (Razão de adsorção de sódio). Por meio da QUALIGRAF determinou-se que a água do Rio e do Poço apresentou um baixo risco de sodicidade e médio risco de salinidade. A amostra da água do poço obteve uma RAS de aproximadamente 1,7 e a amostra do rio aproximadamente 0,85. Valores muitos altos de RAS causam a salinidade do solo e a infiltração. Segundo diagrama de Piper, a água do poço classificou-se como magnesiana cloretada e a água do rio classificou-se como mista cloretada. A questão do teor de alcalinidade bicarbonato na água do poço apresenta um valor diferenciado entre as águas, porém se trata de um valor típico já que as águas subterrâneas se apresentam mais alcalinas.

Veja o artigo completo: PDF