Resumo Trabalho

MORINGA OLEIFERA PARA BIORREMEDIAÇÃO DE ÁGUA NO SEMIÁRIDO: UMA ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA

PATRÍCIA DA SILVA COSTA, RENER LUCIANO DE SOUZA FERRAZ, NEWCÉLIA PAIVA BARRETO, FRANKLIN ALVES DOS ANJOS e orientado por AMANDA COSTA CAMPOS e orientado por AMANDA COSTA CAMPOS

Há uma busca crescente de polímeros naturais no tratamento de águas, um desses coagulantes naturais pode ser obtido na semente da árvore tropical Moringa oleifera Lam. (Moringa). Objetivou-se com esta pesquisa, analisar a literatura pertinente à utilização de Moringa oleifera para tratamento de água, utilizando-se de análise bibliométrica, visando evidenciar anos, países, áreas de concentração e periódicos mais produtivos acerca deste tema, de modo a indicar uma alternativa sustentável para tratamento de água no semiárido. Para realização desta pesquisa, utilizou-se de busca sistemática na base de dados Scopus, seguida de uma análise bibliométrica dos resultados. Para a análise bibliométrica, utilizou-se da metodologia descrita por Machado et al. (2016), com adaptações. O planejamento da pesquisa foi realizado no mês de julho de 2017. Nesta etapa foram delimitados os termos de busca como “Moringa oleifera” AND “water treatment”. Os dados obtidos foram tabulados em planilha eletrônica para posterior análise por meio de estatística descritiva. A busca resultou em 257 documentos, dos quais o Brasil responde por 20,6% desta produção, seguido da Índia com 13,2%, e do Reino Unido com 9,7%. Com relação à produção científica sobre Moringa oleifera e tratamento de água, registrou-se, por área de concentração, que 55,6% dos documentos se encontram na área de Ciência Ambiental, 14% na área de Química e 11,3% na área de Ciências Agrárias e Biológica. Dentre os 10 periódicos mais produtivos, Water Research encontra-se em primeiro lugar com 5,8% dos registros, seguido de Desalination And Water Treatment com 5% e Environmental Technology United Kingdom com 3,9%. A média de produção científica mundial entre os anos de 1997 e 2017, relacionada à Moringa oleifera e tratamento de água, foi de 11,3 documentos. A produção mais expressiva foi registrada no ano de 2016, seguido do ano de 2017. Até o fim do ano há possibilidade de aumento no número de documentos em 2017. A produção científica aumentou no decorrer do tempo, com ênfase para os anos 2016 e 2017, sendo a produção desses respectivos anos concentrada no Brasil. A área de concentração que se destaca com expressividade é a de Ciência Ambiental, e o periódico com maior número de documentos publicados é o Water Research. Estas informações são importantes na busca por alternativas sustentáveis para tratamento de água no semiárido.

Veja o artigo completo: PDF