Resumo Trabalho

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PROMOVER A CONVIVÊNCIA COM AS SECAS

HOZANANA PEREIRA NUNES, XENUSA PEREIRA NUNES, GÁUDIA MARIA COSTA LEITE PEREIRA e orientado por XIRLEY PEREIRA NUNES e orientado por XIRLEY PEREIRA NUNES

À medida que os impactos das mudanças climáticas resultam em eventos mais extremos (como secas e inundações), a necessidade de entender quais políticas facilitam a adaptação eficaz da mudança climática torna-se crucial. Sendo assim, o presente estudo se justifica por permitir uma reflexão sobre a existência de políticas públlicas no enfrentamento da seca. O artigo objetivou investigar, na literatura científica, informações sobre as políticas públicas desenvolvidas para minimizer as consequências da seca. Foram selecionados artigos das bases de dados LILACS, MEDLINE e SCIELO, publicados no período de 2001 a 2016, utilizando os seguintes descritores: “política”, “pública”, “seca”. As bases de dados foram escolhidas utilizando-se como critério a presença de artigos que abordavam o tema da presente revisão. O operador booleano utilizado nestas bases foi “AND” e o período de coleta desses dados foi de 12/09/2017 a 14/09/2017. Como critérios de inclusão: a) estudos originais publicados de 2001 a 2016. Como critério de exclusão: a) artigos fora do período especificado e b) artigos que não abordasem o tema. Dois pesquisadores independentes realizaram as buscas. No total, 36 estudos foram selecionados para a presente revisão. Foram realizadas leituras a partir do título, passando pelo resumo e, caso atendesse aos critérios de inclusão, foi realizada a leitura completa do estudo. Foram encontradas 36 publicações, das quais 28 foram excluídas por não atenderem aos critérios de inclusão. Atualmente, no Brasil, os programas sociais implantados pelos governos ao longo dos tempos conseguiram diminuir os impactos da seca sobre as populações. No ano 2010 aconteceu uma intensa seca agrícola que ocasionou repercussões sociais significativas, fazendo com que as instituições evoluíssem no conhecimento sobre a gestão dos estoques de água nos açudes, onde a transposição do rio São Francisco é considerada uma grande obra de infraestrutura hídrica para fortalecimento da oferta de água. É notório que o desenvolvimento de políticas públicas com o intuito de minimizar os efeitos da seca foram bem sucedidas, porém é necessário mais investimentos em tais políticas.

Veja o artigo completo: PDF