Resumo Trabalho

EIXO NORTE DA TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO: PERSPECTIVAS SOCIOECONÔMICAS NA BACIA DO PIRANHAS-AÇU

JOAB DAS NEVES CORREIA, GETÚLIO PAMPLONA DE SOUSA, EMMANUELLA FAISSALLA ARAUJO DA SILVA, LARYSSA DE ALMEIDA DONATO e orientado por ÂNGELA MARIA CAVALCANTI RAMALHO e orientado por ÂNGELA MARIA CAVALCANTI RAMALHO

O Semiárido brasileiro é uma região definida pela Lei 7827, de 27 de setembro de 1989, delimitada pelo Ministério da Integração Nacional. Abrange oito estados nordestinos, com exceção do Maranhão, além do norte de Minas. Com precipitação média anual inferior a 800 mm, apresenta rios e riachos intermitentes, de modo que o fluxo de água desaparece durante seu período de estiagem com aproximadamente 57% da área total do Nordeste – sendo a maior parte do Agreste e Sertão – e cerca de 40% de sua população, essa região tem convivido historicamente com a seca. Inserido no Semiárido, o estado da Paraíba, com solos rasos e subsolo de rochas cristalinas em praticamente 80% de seu território – fato resultante na baixa acumulação de volumes de água no subsolo – tornou-se campeão junto com Pernambuco em precariedade de oferta hídrica, por disponibilizarem cerca de apenas de 1.440 e 1.320 m3/habitantes/ano, respectivamente, gerando consequentemente um alto déficit hidráulico. Tendo o Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco já concluído, o estado da Paraíba vive a expectativa da conclusão do Eixo Norte para, enfim, ter regularizada a sua disponibilidade hídrica. Em recente visita técnica ao Eixo Norte, no município de São José de Piranhas, no Alto Sertão paraibano, constatou-se que a obra está em fase de conclusão, ocasionando uma enorme perspectiva socioeconômica para região do Piranhas-Açu, com possibilidade do aumento do volume dos açudes Engenheiro Ávidos e Coremas Mãe D’Água, o que garantirá o abastecimento de água da população e o aquecimento econômico dessa região.

Veja o artigo completo: PDF