Resumo Trabalho

POSIÇÕES DO CAVADO EQUATORIAL E DA FAIXA DE MÁXIMA TSM NO ATLÂNTICO TROPICAL.

JAMILLY LEITE DIAS e orientado por JOSÉ IVALDO BARBOSA DE BRITO e orientado por JOSÉ IVALDO BARBOSA DE BRITO

Neste trabalho, analisou-se o comportamento da variabilidade interanual em pêntadas do posicionamento latitudinal do cavado equatorial e da faixa de máxima TSM no Atlântico Tropical, considerado uns dos parâmetros meteorológicos que segundo a literatura, definem a região de atuação da ZCIT que por sua vez é determinante para a qualidade da estação chuvosa do norte do Nordeste Brasileiro. Dentre os resultados a variabilidade diária da posição climatológica da ZCIT é máxima durante o período chuvoso no setor NNEB, para a longitude de 35°W.Nota-se que na longitude de 30ºW observou-se uma variabilidade mais coerente, comparada com a de 40°W. Conforme mostrada a literatura (Kousky, 1988), que no sentido longitudinal, a ZCIT é notadamente mais intensa na região central do Atlântico, do que perto da costa da América do Sul de meados de julho até meados de dezembro.Observou-se que os picos latitudinais de valores mínimos de PNMM para o HN, foram registrados a partir de setembro, outubro, e novembro para ambas longitudes.Com os resultados encontrados, constatou-se que a longitude de 30°W verificou-se uma maior variabilidade interanual em pêntadas do posicionamento latitudinal do cavado equatorial e da faixa de máxima TSM no Atlântico Tropical.

Veja o artigo completo: PDF