Resumo Trabalho

EQUAÇÃO DE CHUVAS INTENSAS DO MUNICÍPIO DE SERRA GRANDE, ESTADO DA PARAÍBA

FAGNA MARIA SILVA CAVALCANTE, MARIANA LIMA FIGUEREDO, SARA ALVES DE CARVALHO ARAÚJO GUIMARÃES, RANIELE ADAME GOMES e orientado por MANOEL MOISÉS FERREIRA DE QUEIROZ e orientado por MANOEL MOISÉS FERREIRA DE QUEIROZ

As chuvas intensas apresentam grandes lâminas precipitadas em pequenos intervalos de tempo, sendo assim é fundamental estabelecer as relações intensidade-duração-frequência (Curvas I-D-F) das mesmas, o que torna o conhecimento das curvas I-D-F e da equação de chuvas de uma região indispensáveis ao desenvolvimento de projetos hidrológicos para o adequado dimensionamento das estruturas hidráulicas municipais e da gestão eficiente dos volumes de águas pluviais. Para tanto utilizou-se os dados de precipitação das Estações Pluviométricas localizadas na cidade, pertencente a Agência Nacional das Águas (ANA) e Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), e o método probabilístico de Gumbel e o emprego de regressão linear para o ajuste e obtenção dos parâmetros (K, m, b e n) da equação. Com o processo de desagregação da chuva utilizando os coeficientes de desagregação propostos pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (1986), possibilitou a obtenção de valores de chuva para as durações de 5, 10, 15, 20, 30, 60, 360, 480, 600, 720 e 1440 min e suas respectivas intensidades. As regressões lineares resultaram em valores de n e b com R2 = 0,9999 e K e m com R2 = 0,9756, e a obtenção da equação de chuvas intensas para a cidade de Serra Grande, válida para períodos de retornos entre 2 e 100 anos. Assim sendo, contata-se que o processo de desagregação de dados de chuva máxima diária anual obtido em pluviômetro possibilitou a determinação da equação de chuvas intensas bem ajustada e que a distribuição de Gumbel ajustou adequadamente os dados de chuva máxima diária anual observados no referido município.

Veja o artigo completo: PDF