Resumo Trabalho

DESENVOLVIMENTO DE BARREIRA SANITÁRIA PARA SISTEMA DE CAPTAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE ÁGUAS DA CHUVA EM CISTERNAS DO SEMIÁRIDO BAIANO

IKARO ALVES SOARES, HILDA COSTA DOS SANTOS TALMA e orientado por HILDA COSTA DOS SANTOS TALMA e orientado por HILDA COSTA DOS SANTOS TALMA

No nordeste brasileiro a disponibilidade hídrica é um grave problema devido à irregularidade temporal e espacial das precipitações. Ao longo do ano, apenas em um período curto de 3 a 4 meses ocorrem precipitações, sendo que se observam períodos longos, da ordem de 8 a 9 meses (período de estiagem), sem precipitação. A gravidade deste cenário se acentua ao considerar a alta taxa de evapotranspiração que caracteriza o clima semiárido da região. Diante desse cenário faz-se necessário buscar alternativas para que a população das áreas com baixa disponibilidade hídrica possa ter água em quantidade suficiente para desempenhar suas funções diárias. O armazenamento de água de chuva em cisterna pode ser encarado como uma solução que contribui para a minimização destes problemas. Por outro lado, esta tecnologia corresponde à oferta limitada do recurso que está condicionada à incerteza das chuvas. Mesmo que essa solução pareça ser atraente do ponto de vista ecológico, os riscos potenciais para a saúde quando da ingestão da água da chuva devem ser considerados. A contaminação atmosférica da água de chuva é baixa em áreas rurais, mas a contaminação pode ocorrer devido ao contato da água com a superfície de captação (telhado, calha, tubulação) e durante o armazenamento e a distribuição. Neste contexto, são comumente identificados como fontes de contaminação das superfícies de captação: fezes de aves, roedores ou outros pequenos animais, poeira, folhas de árvores, partes do revestimento do telhado, tintas, etc. A contaminação da água oriunda das fezes dos animais vindos da rede de capitação para a cisterna pode trazer problemas de contaminação por bactérias e parasitas gastrointestinais. Uma das soluções encontradas para minimizar tal problema é a utilização de dispositivo que purifique as primeiras águas de chuva, garantido o suprimento de água de boa qualidade para o consumo humano. Deste modo, este trabalho justifica-se pela iniciativa de desenvolver um dispositivo simples e de baixo custo que descarte as primeiras águas da chuva e simplifique o manuseio do sistema de captação e armazenamento de água de chuva, possibilitando o acesso de água de melhor qualidade para as comunidades do semiárido baiano. Para avaliação da eficiência, o dispositivo foi aplicado no sistema de captação e realizado o monitoramento da qualidade da água armazenada nas cisternas. No monitoramento foram determinados os parâmetros: coliformes totais, turbidez e pH e alcalinidade.

Veja o artigo completo: PDF