A escola ajuda a conter a disseminação de Fake News?

11/06/2020 Visualizações: 1 Curtidas: 0

Neste período de distanciamento social devido à epidemia do novo coronavírus, a sociedade brasileira tem usado muito a internet. Por consequência, WhatsApp e redes sociais. Notícias falsas sobre o Covid-19, tratamentos alternativos e curas milagrosas têm sido disseminadas, causando confusão entre a população.
Um recente estudo da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) analisou denúncias e notícias falsas recebidas pelo aplicativo “Eu Fiscalizo” entre 17 de março e 10 de abril. O resultado mostra que as mídias sociais mais utilizadas para disseminação de fake news sobre o novo coronavírus foram Instagram, Facebook e WhatsApp. De acordo com especialista, uma mostra clara da falta de letramento digital do cidadão brasileiro.
Professor universitário e fellow do programa Educamídia -- programa criado para capacitar professores e engajar a sociedade no processo de educação midiática dos jovens do Instituto Palavra aberta de São Paulo --, Marcio Gonçalves acredita que professores precisam passar por esse tipo de formação, porque nem eles sabem, na maioria dos casos, usar a informação de forma crítica. Na opinião de Gonçalves, os professores deveriam se envolver com as crianças no mundo da informação crítica que está disponível neste momento de pandemia.

Compartilhe: