Artigo Anais IV CEDUCE

ANAIS de Evento

ISSN: 2447-035X

Visualizações: 19
MEDIAÇÃO ESCOLAR COMO TECNOLOGIA SOCIAL INOVADORA

Palavra-chaves: MEDIAÇÃO ESCOLAR, TECNOLOGIA ASSISTIVA, TECNOLOGIA SOCIAL INOVADORA Pôster (PO) / Poster Submission Diversidade e Diferença

Resumo

A inclusão de alunos com deficiência e transtorno global do desenvolvimento no ensino regular é uma prerrogativa que ganha corpo a partir da Declaração de Salamanca (BRASIL, 1994) e da LDB 9394/96. A Mediação Escolar no caso de crianças autistas ou com grave deficiência aqui se apresenta como uma tecnologia social inovadora. Utilizamos o estudo de caso como metodologia de pesquisa. O público alvo desse projeto de transferência de tecnologia educacional é uma criança de 9 anos, numa escola municipal de uma cidade do interior do Estado do Rio de Janeiro. O âmbito de abrangência dessa experiência, com a construção do protocolo e a possibilidade a partir daí de sua reprodutibilidade, levando-se em consideração as especificidades de cada caso, será fomentar a discussão dessa transferência de tecnologia educacional e seu aprimoramento para o cenário brasileiro de discussão em torno de práticas inclusivas na escola. A partir da pesquisa documental nos registros sobre desempenho da aluna no caso estudado, coleta de dados com a família e a equipe da escola sobre o desenvolvimento da criança, além de observações realizadas na escola e entrevistas com a fonoaudióloga, os dados demonstram melhora da atenção nas atividades, aumento de vocabulário com frases mais completas, reconhecimento do alfabeto e leitura de algumas palavras, entrosamento com outras crianças, refletindo grande progresso na competência comunicativa e interacional, bem como na organização do comportamento. Salientamos que o trabalho necessita articulação em rede, e que seria a “porta de entrada” de alunos que estariam excluídos da escola, mas o fomento à instalação da cultura de inclusão na escola caminha lado a lado. O encontro com a criança com a qual trabalhamos para estimular a aquisição de linguagem e habilidades sociais no cotidiano escolar ampliou a possibilidade da quantidade de vivências no ambiente, “abriu canais”, por isso que consideramos a mediação escolar como “tecnologia assistiva” (BERSCH, 2007). Fazer Tecnologia Assistiva na escola é conhecer e criar novas alternativas para a comunicação, escrita, mobilidade, leitura, brincadeiras, artes, utilização de materiais escolares e pedagógicos, exploração e produção de temas através de possibilidades de potencializar a pessoa.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.