Artigo Anais IV CEDUCE

ANAIS de Evento

ISSN: 2447-035X

Visualizações: 14
GUIA PARA A TRILHA ADAPTADA DO PARQUE NACIONAL DA TIJUCA: UMA PROPOSTA MULTIDISCIPLINAR SOB A PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Palavra-chaves: ESPAÇOS NÃO FORMAIS DE ENSINO, EDUCAÇÃO BÁSICA, UNIDADE DE CONSERVAÇÃO, ROTEIRO Pôster (PO) / Poster Submission Diversidade e Diferença

Resumo

O objetivo desse trabalho foi apresentar um roteiro multidisciplinar para o Caminho Dom Pedro Augusto, que auxilie professores da Educação Básica no aproveitamento desse espaço. Através de sugestões de abordagem e utilização dos elementos encontrados ao longo do percurso, o professor pode atuar como mediador entre o aluno e os conhecimentos a serem desenvolvidos. O Parque Nacional da Tijuca (PARNA Tijuca) é uma Unidade de Conservação (UC) de grande relevância para a cidade do Rio de Janeiro, por desempenhar diversas funções que variam desde serviços ambientais até o destaque como atrativo turístico, constituindo-se como uma das UC mais visitadas do Brasil. Como espaço não formal de ensino, o PARNA Tijuca apresenta muitas possibilidades de abordagem multidisciplinar que podem ser exploradas pela Educação Básica. O Caminho Dom Pedro Augusto, reestruturado para permitir o acesso de pessoas com necessidades especiais, possibilita o contato direto dessa parcela populacional com o ambiente natural, possuindo elementos característicos da Mata Atlântica e constituindo um exemplo para outras UC, pela iniciativa destinada à inclusão. Semelhante ao restante do Parque, essa trilha possui muitos recursos capazes de ilustrar conceitos das disciplinas de Ciências e Biologia, bem como desenvolver assuntos ligados às disciplinas de História e Artes. Dessa forma, a trilha representa um importante instrumento de intervenção didática multidisciplinar e, diante dos elementos e características que a compõem, oferece a oportunidade de realização de aulas fora da Instituição Escolar sob a perspectiva da Educação Inclusiva. Destacam-se nas abordagens propostas, a valorização das características perceptíveis às pessoas com necessidades especiais, a descrição dos elementos históricos e artísticos presentes na trilha, reiterando o caráter multidisciplinar do guia, e o estímulo a uma abordagem contextualizada na história do próprio Parque.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.